Piscicultura foi pauta do ‘Dia no Campo’ promovido pela Sepror

Foto: Djalma Júnior

Nesta quinta-feira (13), a Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror) promoveu “Dia no Campo” em uma propriedade de piscicultura em Itacoatiara (distante 176 quilômetros de Manaus), onde são produzidos peixes como matrinxã e tambaqui, em tanques rede e tanques escavados. O projeto de piscicultura do empresário Kasuo Oka teve início em 2010 e fica na AM-010, Km 214,  Ramal do Muirapucuzinho, em Itacoatiara, vicinal do Guri-Rio Urubu.

Técnicos e piscicultores convidados acompanharam a Sepror, para conhecer o empreendimento. À frente da ação, o secretário de Produção Rural, Petrucio Magalhães Júnior, disse-se impressionado com o projeto e com a criatividade do piscicultor, que permite tirar o máximo resultado produtivo de cada gaiola de criação de pescado. A produção cíclica média é de 500 toneladas de pescado, totalmente consumida em Manaus (AM) e Boa Vista (RR), com previsão de ampliação para 1 mil toneladas nos próximos anos.

“Foi mais um ‘Dia no Campo’, desta vez no maior empreendimento da piscicultura com uso de gaiolas, sistema produtivo inovador do empreendedor Oka. Uma prova de que é bom investir no Amazonas, pois gera-se emprego, renda e produção de alimentos, como nesta empresa de estrutura invejável e índices de produção elevados, com sustentabilidade econômica, ambiental e social”, disse Petrucio.

O empresário Kasuo Oka mostrou-se honrado com a visita e com a consideração e reconhecimento demonstrados com a presença e manifestação de todos sobre o empreendimento Oka Fish, licenciado pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e financiado desde seu início pelo Banco da Amazônia (Basa).

“Estamos confiantes na determinação do Governo do Estado e em suas ações em benefício dos piscicultores”, disse Oka.

O empresário revelou ainda que, a partir deste mês, com a instalação de um novo medidor de energia destinado especialmente às atividades do piscicultor, conseguirá reduzir o custo da energia consumida pela metade, permitindo-lhe investir na expansão de nova área de produção com uso de tanques escavados para criação de tambaquis.

Mão de obra

No desempenho de atividades temporárias, como despesca ou distribuição de alevinos, o piscicultor utiliza mão de obra disponível nas localidades próximas, como as comunidades de Muiracupuzinho, Jacarezinho e até na cidade de Itacoatiara, que se soma aos cinco funcionários permanentes de sua empresa.

Parceiro

 Nedyr Chiesa, representante da Trevisan, fabricante de equipamentos e máquinas para agricultura, aquicultura e rotomoldagem, também participou da visita. Ele foi observar o desempenho de modernos aeradores adquiridos pela empresa dentro de um projeto de redução de consumo de energia elétrica e melhor desempenho de equipamentos e se disse satisfeito com o que viu.

*Com informações da assessoria