Planejamento, conectividade e tecnologia: Desafios da educação em tempos de pandemia

Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira (06) é comemorado o Dia Nacional dos Profissionais da Educação, data criada para homenagear e reconhecer o trabalho desempenhado por professores e pedagogos. Nos últimos meses, esses profissionais viram sua rotina mudar completamente, devido à pandemia de coronavírus. Adaptações precisaram ser feitas, novas tecnologias passaram a fazer parte do dia a dia, tudo para que a educação continuasse chegando aos estudantes.

Para a doutora em Educação e coordenadora do curso de Pedagogia da Faculdade Santa Teresa, Kelen Marcião, um dos setores mais impactado pela pandemia foi o da educação. “Instituições de todo o mundo precisaram rapidamente disponibilizar ferramentas para que professores pudessem criar e entregar conteúdos aos alunos. Dessa forma, os profissionais têm vivido novas experiências de ensino”, disse.

Kelen Marcião ressalta que o uso da tecnologia já fazia parte da rotina de muitas instituições, mas com a pandemia isso se intensificou. “Os professores tiveram que aprender novas habilidades, tanto no que diz respeito à parte prática do uso das tecnologias, como também de relacionamento e comunicação com o aluno e de desenvolvimento de conteúdo, que precisa ser muito mais atrativo para manter o interesse do estudante”, destacou.

Segundo Kellen, a nova realidade continuará fazendo parte da rotina dos educadores. “Há muito tempo se fala em ensino híbrido, que combina atividades online com aulas presenciais. Com a retomada das aulas presenciais, por conta da flexibilização do isolamento social, isso se tornou uma realidade”, frisou.

De acordo com a coordenadora, o ensino híbrido significa mais do que alternar aulas presenciais com atividades online ou à distância. “É uma maneira inovadora de pensar a educação, em que essa separação entre homem e tecnologia vai sendo superada”, disse ela.

O ensino híbrido será adotado pela Faculdade Santa Teresa na volta às aulas presenciais, agora em agosto. Diferente do que muita gente pensa, Kelen explica que esse sistema não retira e tampouco diminui a figura do professor. A especialista ressalta que, de longe ou de perto, educar sempre será sempre uma tarefa humana. “Mesmo na atuação de forma remota, o professor precisa planejar sobre o que vai ensinar e refletir se aquela atividade atende aos interesses e às necessidades da sua turma. Acredito que todos os desafios impostos pela pandemia ao setor educacional irão fortalecer ainda mais a figura do professor”, pontua Kelen.

As informações são da assessoria