Polícia Civil identifica desmatamento em Unidade de Conservação na BR-319

Diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), Mariolino Brito - Foto: Alailson Santos

Os delegados da Polícia Civil do Amazonas Mariolino Brito e Carla Biaggi, respectivamente diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI) e titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), falaram na manhã de quinta-feira (18), durante coletiva de imprensa realizada às 10h, no prédio da Delegacia Geral, sobre a descoberta de desmatamento em uma Unidade de Conservação (UC). O crime ambiental foi identificado durante a deflagração da Operação Grilagem, ao longo de quarta-feira (17), no Km 232 da rodovia federal BR-319.

De acordo com Mariolino Brito, ao longo dos trabalhos foram apreendidos animais silvestres, que estavam sendo mantidos em cativeiros no local. Além disso, os policiais civis apreenderam uma motocicleta com sinais identificadores adulterados e diversas ferramentas, como terçados, pás, serrotes e motosserras, usadas no desmatamento da área. Toda a ação aconteceu na rodovia federal BR-319, nas proximidades de Careiro Castanho, município distante 88 quilômetros em linha reta da capital.

O diretor do DPI enfatizou que a operação aconteceu com o apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), por meio do Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC-AM) e Polícia Militar (PM). Mariolino Brito destacou que o objetivo da operação foi detectar crimes ambientais no local.

Titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), Carla Biaggi – Foto: Alailson Santos

“Recebemos uma solicitação do Ministério Público Federal (MPF) para averiguar casos de crimes ambientais e desmatamento em uma Unidade de Conservação, localizada nas proximidades de Careiro Castanho. A partir disso, realizamos diligências e identificamos uma área bem desmatada no lugar, bem como queimadas também”, disse Brito.

Conforme a titular da Dema, as motosserras apreendidas estavam sem licença para uso. “Além dos materiais, encontramos também, durante os trabalhos, um alojamento com 23 pessoas, e todos os presentes foram encaminhados à 34ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), em Careiro Castanho, para que pudessem prestar esclarecimentos”, esclareceu Biaggi.

A delegada ressaltou que as equipes de investigação estão realizando uma triagem com as pessoas encontradas no local. Biaggi assegurou que as investigações em torno do caso irão continuar, até que sejam identificados os verdadeiros responsáveis pelo delito, para que possam responder criminalmente pelos atos cometidos.

*Com informações da assessoria