Polícia

Polícia encontra pornografia infantil e detém suspeito de agenciar menores

foto: Erlon Rodrigues/PC-AM

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) apreendeu celulares com pornografia infantojuvenil e prendeu um suspeito de agenciar menores para prostituição. A ação ocorreu por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), na manhã desta quarta-feira (5), por volta das 6h, na operação “Luxúria”, para cumprir quatro mandados de busca e apreensão em investigação sobre o crime de exploração sexual de crianças e adolescentes.

A ação policial ocorreu nos bairros Lírio do Vale e Alvorada, zonas oeste e centro-oeste de Manaus. Na ocasião, foram apreendidos aparelhos celulares dos suspeitos e, em um deles, foi localizado material de cunho pornográfico infantojuvenil e um jovem de 21 anos foi preso em flagrante.

Durante coletiva de imprensa realizada na sede da Depca, na avenida Via Láctea, Conjunto Morada do Sol, bairro Aleixo, zona centro-sul, a delegada Joyce Coelho, titular da Especializada, informou que a operação policial teve como intuito investigar a existência de redes de exploração sexual de crianças e adolescentes para prostituição.

“Durante as diligências, apreendemos aparelhos celulares que continham provas do crime e, em decorrência disso, um jovem foi preso em flagrante pelo crime de armazenamento de pornografia infantojuvenil. Ele estava sendo investigado como suposto agenciador de adolescentes para programas sexuais”, disse Joyce.

Conforme a autoridade policial, as investigações estão em fase inicial, e a operação possivelmente terá desdobramentos para identificar outros possíveis indivíduos que estão envolvidos nessa rede.

“É muito importante que a população realize denúncias caso percebam que crianças e adolescentes sejam vítimas desse tipo de crime, pois muitas vezes as pessoas não percebem e não se dão conta que ele existe no dia a dia”, ressaltou a titular da Depca.

Procedimentos

O jovem irá responder por armazenamento de pornografia infantojuvenil, que está tipificado no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Após o término dos procedimentos cabíveis na Especializada, ele será encaminhado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria