Polícia faz operação para tentar localizar possíveis músicas inéditas de Renato Russo

Foto: Divulgação

A Delegacia de Repressão contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) faz uma operação, nesta segunda-feira (26), para tentar encontrar possíveis músicas inéditas do cantor e compositor Renato Russo. A suspeita é que essas composições estariam com o dono de um estúdio de gravação em Botafogo, na Zona Sul do Rio. As informações são do G1.

A polícia acredita que o proprietário do estúdio possa ter tido acesso ao material a partir de contatos com a gravadora, que mantinha as músicas em seu acervo. Renato, que morreu em 1996, teria utilizado o local durante seus últimos anos de vida. No estúdio, a polícia apreendeu CDs, HDs e torres de computador.

Segundo o delegado responsável pelo caso, na análise do material apreendido os agentes encontraram 30 versões nunca lançadas oficialmente e tentam encontrar um possível repertório inédito de autoria de Renato.

A investigação começou há um ano, quando Giuliano Manfredini, filho de Renato e detentor dos direitos autorais de parte de sua obra, fez a denúncia na delegacia. A operação foi batizada de “Será?”, uma das composições do artista.

“O cumprimento do mandado de busca e apreensões foi altamente produtivo e conseguimos provas robustas, que em breve vão ajudar a esclarecer toda a verdade sobre o que estava acontecendo. Tem pelo menos trinta músicas em versões inéditas”, afirmou o delegado Mauricio Demétrio, titular da DRCPIM.

O responsável pelo estúdio vai prestar depoimento às 14h na DRCPIM, na Cidade da Polícia, na Zona Norte da cidade.