ALEAM

Preço da margarina contribui para alta da cesta básica em março, aponta CDC/Aleam

Foto: Mauro Smith

Presença confirmada na lista de compras dos amazonenses, a margarina vegetal registrou um aumento de preço de 35,02% no mês de março. A alta, apontada em pesquisa da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/Aleam), contribuiu para o reajuste de 1,11% no custo médio da cesta básica de Manaus em março, em comparação ao mês anterior, passando de R$ 248,29 para R$ 251,05.

O levantamento, realizado nos dias 29 e 30 de março, coletou dados de 26 itens essenciais em dez supermercados localizados nas Zonas Oeste, Norte e Leste da capital amazonense.

Segundo apontou a pesquisa, a margarina vegetal foi o produto que mais encareceu no mês de março, seguido do extrato de tomate (+10,32), sabonete em barra (+9,61%), açúcar (+6,76%), água sanitária (+4,75%) e arroz (+3,38%).

Por outro lado, também foi possível observar que alguns produtos ficaram mais em conta, entre eles a bolacha água e sal (-12,03%), desinfetante (-9,77%), sal (-8,91%), detergente (-7,19), farinha (-5,90%) e macarrão (-5,55%).

Um dado importante constatado pelas equipes da CDC/Aleam é a variação de preço entre produtos similares encontrados nos estabelecimentos pesquisados. Conforme o levantamento, foram registradas diferenças de até 187,05%, como é o caso do sabão em pó, cujo valor variou de R$ 1,39 (mais barato) a R$ 3,99 (mais caro). Outros itens essenciais também apresentaram diferenças significativas como o vinagre (187,30%), sal (133,33%), bolacha água e sal (111,11%), água sanitária (97,67%), farinha (83,61%), extrato de tomate (79,14%), entre outros.

De acordo com presidente da CDC/Aleam, deputado estadual João Luiz (Republicanos), essa variação de preços tem um reflexo direto no valor total da cesta básica. “O consumidor deve ficar atento a essa diferença de preços, levando em consideração a marca, a qualidade e o custo/benefício do produto. Essa variação ressalta, mais uma vez, a importância de se fazer uma lista de primeiras necessidades e uma pesquisa de preços antes de se efetuar a compra”, afirmou João Luiz.

Por conta dessa variação de valores, a CDC/Aleam constatou uma diferença de 45,87% no preço da cesta básica praticada em Manaus, sendo R$ 204,45 a mais barata e R$ 298,23 a mais cara.

Vale ressaltar que o valor mínimo é calculado considerando o menor preço encontrado para cada produto nos diferentes estabelecimentos, assim como, o valor máximo é calculado somando-se os preços mais caros para cada um dos mesmos itens pesquisados.

Com informações da Aleam