Cidades

Prefeito recebe taxistas e mototaxistas e garante fiscalização mais efetiva

Entre as apreensões realizadas estão 729 mototaxis clandestinos, 156 táxis irregulares, 69 carros fazendo lotação, além de 44 fretes clandestinos. Apenas em junho foram 94 apreensões- foto: Mário Oliveira
Redação
Postado por Redação

Uma comissão de taxistas e mototaxistas foi recebida pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, na noite desta quarta-feira (21), na sede da Prefeitura de Manaus na Compensa. No encontro, as categorias apresentaram suas demandas e pediram mais fiscalização.

Acompanhado do vice-prefeito, Marcos Rotta, do superintendente Municipal de Transportes Urbanos, Marcel Alexandre, e do líder do governo na Câmara Municipal de Manaus, vereador Joelson Silva, o prefeito ouviu as lideranças, debateu os problemas e apontou possíveis soluções.

Arthur se comprometeu em buscar apoio junto ao Governo do Estado para que a Polícia Militar participe das fiscalizações juntamente com a SMTU. “Foi uma conversa boa e sincera na qual pediram fiscalização contra os clandestinos. Se Deus quiser, com apoio do Estado, e com a Polícia Militar, vamos intensificar a fiscalização contra os clandestinos porque temos que preservar a legalidade”, enfatizou.

Para Anderson Souza, membro da comissão dos mototaxistas, esse compromisso de buscar uma parceria com a Polícia Militar e intensificar as fiscalizações agrada a categoria. Somente este ano, nas fiscalizações da SMTU, já foram apreendidos 1.094 veículos. Entre as apreensões realizadas estão 729 mototaxis clandestinos, 156 táxis irregulares, 69 carros fazendo lotação, além de 44 fretes clandestinos. Apenas em junho foram 94 apreensões.

Taxistas

Além de demandas ligadas a fiscalização, a categoria dos taxistas também pede a liberação de um decreto para que possam extinguir a bandeira 2, e para que os táxis comuns, que hoje seguem rumo ao aeroporto cobrando preço de tabela de táxi especial, voltem a fazer a cobrança por taxímetro.

Segundo o membro do Sindicato dos Taxistas, José Carlos de Souza, a realidade econômica do país e a concorrência com o serviço de táxi exige que a categoria busque alternativas melhores para satisfazer os clientes. “Chegamos a um entendimento dentro da categoria que temos que colaborar e implantar medidas que reduzam a carga para o usuário, pois estamos todos passando por dificuldades”, observou.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários

Deixe um comentário