Manaus

Prefeitura de Manaus abre a Campanha de Vacinação contra Influenza nesta segunda (12)

Foto: Valdo Leão / Semcom

O prefeito de Manaus, David Almeida, anunciou nesta sexta-feira, (9), a abertura, na próxima segunda-feira, 12, da 23ª Campanha de Vacinação contra Influenza (Gripe) na cidade. Considerando o quantitativo de vacinas encaminhadas pelo Ministério da Saúde ao município de Manaus até este momento, a campanha vai atender inicialmente crianças na faixa etária de seis meses a menor de dois anos, gestantes e puérperas (mães no pós-parto até 45 dias).

“Nesta primeira remessa, recebemos pouco mais de 90 mil doses para começarmos a imunizar nossa população contra a gripe. Com base neste quantitativo, os técnicos da Semsa (Secretaria Municipal de Saúde) priorizaram esses públicos para receberem logo a vacina. Com a chegada de novos lotes, iremos expandir a imunização para mais grupos prioritários, conforme estabelece o Ministério da Saúde”, assegura o prefeito.

Para a vacinação, as pessoas que se enquadram no público-alvo devem procurar uma das 171 salas de vacina nas Unidades de Saúde e a orientação é que o cartão de vacina seja apresentado no posto, no momento da imunização. As salas de vacina foram organizadas para evitar o risco de transmissão do novo coronavírus, mas gestantes e puérperas devem manter os cuidados indo ao posto utilizando máscaras, e a criança deve ir acompanhada de apenas um responsável, reduzindo riscos de aglomeração nas Unidades de Saúde. Os endereços podem ser consultados no link https://semsa.manaus.am.gov.br/programa-de-imunizacoes/salas-de-vacina/

“O público-alvo para a vacinação contra Influenza é formado por 17 grupos prioritários, que serão atendidos em três etapas, iniciando no dia 12 de abril e finalizando no dia 9 de julho. A vacinação vai contemplar todas as pessoas dos 17 grupos, a partir de um calendário organizado pela Semsa, o que será divulgado seguindo o cronograma de entrega das doses ao município”, informa a secretária municipal interina de Saúde, Aline Rosa Martins.

Ao todo, a campanha vai atender, até 9/7, os seguintes grupos prioritários: crianças na faixa etária de seis meses a menores de seis anos; gestantes; puérperas (mães no pós-parto até 45 dias); povos indígenas; trabalhadores de saúde; idosos com 60 anos ou mais; professores das escolas públicas e privadas; pessoas com comorbidades; pessoas com deficiências permanente; caminhoneiros; trabalhadores do transporte coletivo; trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; Forças Armadas; funcionários do sistema prisional; população privada de liberdade; e adolescentes sob medidas socioeducativas.

Conforme a chefe da Divisão de Imunização da Semsa, enfermeira Isabel Hernandes, englobando todos os 17 grupos prioritários, a previsão é que sejam imunizadas 642.003 pessoas no município de Manaus.

“A meta é vacinar no mínimo 90% do público-alvo. E é muito importante que as pessoas compareçam a uma sala de vacina para se imunizar contra a Influenza, que é uma infecção viral aguda, que afeta o sistema respiratório e é altamente transmissível, lembrando sempre de apresentar o cartão de vacina”, ressalta Isabel.

Covid-19

Como a campanha contra a Influenza acontecerá de forma simultânea à vacinação contra a Covid-19, a orientação é que a aplicação aconteça com um intervalo mínimo de 14 dias entre as duas vacinas.

“Caso a pessoa faça parte do público-alvo para as duas vacinas, a prioridade, neste momento de pandemia, deve ser pela aplicação da vacina contra Covid-19, aguardando um período de 14 dias para imunização contra a Influenza”, orienta Isabel.

A enfermeira alerta ainda que a vacinação contra Influenza ajuda na prevenção da doença e reduz o risco de complicações graves, internações e óbitos. “Evitar complicações por Influenza tem como resultado a redução da demanda pelos serviços de saúde, o que é muito importante durante a pandemia da Covid-19, que já causa uma sobrecarga no sistema de saúde”, explica Hernandes.

Sintomas

Os principais sintomas da Influenza são febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse. Em alguns casos, a doença pode apresentar complicações graves, como pneumonia, quando o paciente pode desenvolver a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de gotículas expelidas por alguém infectado pelo vírus, ao falar, espirrar ou tossir, ou pelo contato direto com secreções de pessoas doentes.

As informações são da assessoria

Deixe um comentário