Prefeitura de Manaus já revitalizou quase 180 metros de ponte e mantém ações preventivas em áreas de risco

Foto: Marino Ramos / Semcom

A Prefeitura de Manaus vem dando continuidade às ações de prevenção em áreas de risco, mesmo durante o período da pandemia do novo coronavírus. Com isso, a Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil (Sepdec), vinculada à Casa Militar, já revitalizou 175 metros de pontes. Além disso, o município registrou uma redução de quase 70% nas ocorrências registradas pelo 199 nos primeiros 15 dias do mês na capital.

Também durante a primeira quinzena de outubro deste ano, a Defesa Civil já revitalizou 65 metros de ponte no bairro Educandos e 80 metros no bairro Jardim Mauá, ambos, na zona Sul da capital. Outros 30 metros também foram construídos na marina do Davi, zona Oeste, para permitir o acesso às embarcações das famílias que moram na zona Rural.

Segundo a diretora operacional da Defesa Civil, Bibiane Araújo, as ações de prevenção acontecem durante todo o ano. “Mesmo diante do cenário atual, continuamos atuando de forma preventiva em todas as áreas de risco da cidade. Ainda que não estejamos em períodos críticos, o monitoramento de construção de pontes, de chuvas e descidas e subidas dos rios, é constante. Devido a essa perspectiva de prevenção, podemos garantir uma diminuição no número de sinistros”, relatou.

Ocorrências diminuíram

Comparado com o mesmo período do ano passado, a Central de Atendimento 199, da Defesa Civil municipal, registrou uma diminuição significativa no número de ocorrências na primeira quinzena de outubro. Foram registradas 80 em 2019 e neste ano, foram somente 25, segundo o Sistema de Defesa Civil (Sisdec).

Seguindo o Plano Diretor da cidade e por meio do mapeamento da área de risco, a Defesa Civil conta com o auxílio e monitoramento dos voluntários que trabalham por meio dos Núcleos de Proteção e Defesas Civis nas comunidades (Nupdecs), que analisam e notificam o órgão sobre as ocorrências locais.

Os voluntários estão divididos e atuando em programas como os Defensores Comunitários, no projeto Defesa Civil nas Escolas e nas capacitações dos moradores de bairros, que estão mapeados como área de risco e são o contato direto com os agentes. Ao todo, existem dez Nupdecs, que reúnem mais de 500 voluntários, como Luiz Altierre, 45, que avalia como positiva a atividade mesmo na pandemia.

“Quero primeiramente parabenizar os agentes da Defesa Civil, que juntos aos voluntários do Nupdec, vem conseguindo dar sequência nas ações de prevenção de comunidades como a minha. Eu costumo dizer que esse é um trabalho de formiguinha, mas com resultados de gigantes. Desde o início desse programa que faço parte, me sinto membro, sendo os olhos, da Defesa Civil aqui dentro e isso não tem preço”, comentou Luiz.

Com informações da assessoria