Manaus

Prefeitura participa de audiência pública para discutir as ações voltadas à cheia do rio Negro

Fotos: Divulgação / Semasc

A Prefeitura de Manaus, por meio das secretarias municipais da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Limpeza Urbana (Semulsp) e Defesa Civil, participou na manhã desta quinta-feira, 29/4, de uma audiência pública promovida pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), sobre as ações que estão sendo desenvolvidas para diminuir os impactos da cheia este ano em Manaus. O evento foi realizado no auditório da Câmara Municipal de Manaus (CMM), no Santo Antônio, zona Oeste, em formato híbrido – presencial e virtual.

“A Semasc, em parceria com a Defesa Civil municipal, está em campo desde o dia 19 de abril, fazendo o levantamento e cadastramento de famílias, por meio da operação ‘Cheia 2021’. Essas famílias receberão benefícios eventuais e serão inseridas no Auxílio Aluguel. O trabalho se concentra em torno de bairros e comunidades ribeirinhas passíveis de alagação”, informou a secretária da Semasc, Jane Mara Moraes.

Entre as ações desenvolvidas pela Defesa Civil, estão a construção ou substituição de pontes e marombas.

“Neste período de cheia nós estamos atuando em várias frentes, dentre elas as construções de pontes e passarelas. Já construímos mais de 400 metros de pontes no Mauazinho e estamos iniciando as construções no São Jorge e Educandos, para que a população tenha a trafegabilidade normalizada. Uma ação que deve beneficiar mais de 4 mil famílias que residem nas orlas de Manaus”, enfatizou o secretário da Casa Militar, tenente William Dias

Planejamento

A audiência teve como objetivo identificar as principais demandas da população manauense atingida pela cheia do rio Negro, além de articular soluções com instituições públicas, a fim de possibilitar medidas que minimizem os prejuízos.

Nesta quinta-feira, 29, o rio Negro registrou a marca de 28,98 metros, faltando apenas dois centímetros para que seja atingida a cota de situação de emergência.

“Hoje nós conseguimos encaminhar providências, a partir dessa audiência, ao enfrentamento da cheia 2021. A nossa intenção é fazer o acompanhamento até o início da vazante e começar a planejar 2022, para melhorarmos o que já está sendo feito este ano”, afirmou o subdefensor-geral Thiago Rosas.

Para o presidente da Associação de Moradores do bairro Betânia, Antônio Sena, os esclarecimentos feitos pelos representantes do Executivo municipal foram importantes para tranquilizar as famílias que residem em áreas passíveis de alagação.

“Muito importante essa audiência, onde trouxemos os anseios da comunidade. Nós ainda nem saímos da pandemia e já estamos sofrendo com a cheia. Entre as nossas necessidades, estão a construção de pontes, limpeza do igarapé, que já foram compromissos firmados pelos secretários aqui presentes”, observou.

Entre os participantes da audiência pública, além das secretarias municipais, estavam a Defesa Civil estadual, Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), vereadores e presidentes de associações de moradores.