Prefeitura realiza abertura do Programa de Inovação Educação Conectada

(Foto: Marinho Ramos/Semcom)

Gestores de 474 escolas da rede municipal de ensino participaram da abertura do Programa de Inovação Educação Conectada, na sexta-feira, 10/5. O evento foi realizado no auditório da reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na avenida Djalma Batista, bairro Flores, zona Centro-Sul. O programa começa a ser implantado este ano na rede municipal de ensino.

O Programa de Inovação Educação Conectada é o resultado da parceria da Prefeitura de Manaus com os Ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Os recursos foram disponibilizados no final do ano passado, e liberados para 455 unidades de ensino, da Secretaria Municipal de Educação (Semed), pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Com isso, serão beneficiados um total de 230.711 alunos das modalidades da educação infantil e do ensino fundamental.

O objetivo é apoiar a universalização do acesso à internet em alta velocidade nas escolas e fomentar o uso pedagógico de tecnologias na educação básica. Para isso, a Semed conta com um grupo de articuladores para organizar as ações das Divisões de Apoio à Gestão (Dage), de Gestão da Tecnologia da Informação (DGTI), Planejamento (Deplan) e a Gerência de Tecnologia Educacional (GTE).

A abertura contou com a apresentação do vídeo sobre o programa, palestra Cultura e Letramento Digital na Educação Infantil, ministrada por Eliane Batista de Lima, da Divisão de Educação Infantil (DEI) da Semed, além de Neudimar Ferreira Pacheco e Suziane dos Santos Lopes.

A coordenadora estadual do Programa Nacional de Inovação Educação Conectada, Maria Silva Helena Fontes, disse que o programa tem o objetivo de fazer com que as escolas possam ter acesso a uma internet com uma maior velocidade.

“Manaus é uma das cidades onde o programa está sendo implantado. É um passo muito grande, porque está trabalhando e trazendo ao ensino infantil, onde começa realmente a utilização da tecnologia que não é só um artefato, mas um modo de pensar, criar e inovar”, informou.

De acordo com a chefe da Dage da Semed, Jussara Marques, a Prefeitura de Manaus investiu o valor de R$ 3,7 milhões ano passado, e a secretaria realizou todo um estudo voltado para que atendesse da melhor forma possível as escolas.

“É um programa que vem mesmo mexer com o chão da escola, um atrativo para o aluno, porque fala de conectividade, internet, autonomia do professor em criar toda uma aula específica e atrativa ao aluno. É um recurso que chega em prol dos nossos estudantes”, comentou Jussara.

Com relato de experiência do projeto “Pesquisadores de berço”, a professora Maria Raquel Santos, da creche municipal Magdalena Arce Daou, no bairro Santa Luzia, zona Sul, disse que a Educação Conectada chega para agregar ao trabalho pedagógico já desenvolvido na escola.

“O foco do nosso projeto é a iniciação em ciências na creche, mas temos uma parte que fala de tecnologia. Em relação à Educação Conectada, temos relatos de pais que ajudaram bastante na assimilação dos conceitos, pois eles estão aprendendo e assimilando os conceitos mais práticos”, comentou.

A diretora Maria Gorete Araújo da Cruz, do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Renata Holanda de Souza Gonçalves, no Jorge Teixeira, zona Leste, afirmou que o projeto só vem para somar com trabalho realizado pela sua equipe pedagógica.

“Verificamos que as crianças, ao serem incluídas no processo digital, estão se desenvolvendo melhor e conhecendo novas ferramentas e tecnologias. Esse processo contribui de forma significativa para o aprendizado, pois as crianças vão se familiarizando com as tecnologias”, concluiu.