Manaus

Prefeitura trabalha em ações emergenciais devido à alerta de cheia histórica em 2021

Foto: João Viana / Arquivo Semcom

Nesta sexta-feira, (30), o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) fez o segundo alerta de como poderá se comportar a cheia para o ano de 2021, junto à Agência Nacional das Águas, anunciando uma previsão de 56% de que o fenômeno natural ultrapasse a cota de 29,97 metros, batendo o recorde de cheia registrada no ano de 2012, que é classificada como cheia severa. Como prevenção, a Prefeitura de Manaus está monitorando 15 bairros da área urbana e 17 da zona rural ribeirinha. O comitê de pronta-resposta da “Operação Cheia 2021”, criado pelo prefeito David Almeida, trabalha no plano de ações emergenciais para minimizar os impactos desses moradores de áreas afetadas pelo rio Negro.

“Diante dos estudos que apresentam uma das maiores cheias para este ano, o comitê tem trabalhado em conjunto, para realizar as ações emergenciais e minimizar os impactos aos moradores das áreas que podem ser afetadas, como nos determinou o prefeito David Almeida. Estamos com cerca de 600 metros de pontes e passarelas já construídas, para ajudar na trafegabilidade das pessoas durante o período de cheia”, enfatizou o secretário municipal chefe da Casa Militar, tenente William Dias.

A conferência que deu o alerta foi realizada de forma on-line e mostrou um prognóstico do nível máximo e mínimo de como será a cheia, para que a Defesa Civil do Estado e município façam um planejamento das ações de prevenção, preparação, resposta e recuperação dos locais que podem ser atingidos.

“Neste alerta já temos um prognóstico mais perto da realidade que enfrentaremos na cheia deste ano. Com isso, há um planejamento para trabalharmos com a cota acima de 30 metros, com vários pontos de alagações. E a Defesa Civil de Manaus tem trabalhado desde janeiro para preparar a cidade para a maior cheia, mesmo que não tenhamos”, ressaltou o secretário executivo da Defesa Civil, coronel Fernando Júnior.

Com a previsão de uma cheia história o comitê criado para a “Operação Cheia 2021” está realizando construção de meios de acesso (passarelas e pontes); cadastramento para entrega de donativos; limpeza dos ambientes poluídos, incluindo a coleta e destinação dos resíduos sólidos; descontaminação de vias públicas no centro comercial de Manaus; e a desratização e desinsetização dos bairros atingidos.

Bairros

De acordo com o estudo realizado pela Prefeitura de Manaus, na região urbana os bairros atingidos devem ser o Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa e Puraquequara.

Na região rural ribeirinha, a Defesa Civil monitora as comunidades Nova Canaã do Aruau, São Francisco do Aruau, Lindo Amanhecer, São Sebastião do Cuieiras, São Francisco do Chita, Bela Vista do Jaraqui, Nova Jerusalém do Minpidiau, São Sebastião do Tarumã-Mirim, Agrovilla, Cueiras do Tarumã-Açu, Nova Esperança do Apuau, Santa Isabel do Apuau, Nova Aliança do Apuau, União e Progresso, São Francisco do Tabocal, São Raimundo e o assentamento Nazaré.

As informações são da assessoria