Produtor Harvey Weinstein é demitido após acusações de assédio sexual

Harvey Weinstein foi demitido, neste domingo (8), da produtora que dirigia e que leva seu próprio nome após as acusações de ter assediado sexualmente mulheres por décadas. A informação foi dada por uma nota enviada pela The Weinstein Company à imprensa americana neste domingo.

“Devido às novas informações sobre as ações de Harvey Weinstein, que surgiram nos últimos dias, os diretores da The Weinstein Company —Robert Weinstein, Lance Maerov, Richard Koenigsberg e Tarak Ben Ammar— decidiram e informaram Harvey Weinstein, que seu contrato com a The Weinstein Company foi encerrado imediatamente”, disse o texto de nota.

Considerado um dos nomes mais poderosos de Hollywood, o produtor foi acusado de ter cometido abuso sexual contra diversas mulheres, incluindo as atrizes Ashley Judd e Rose McGowan. As acusações foram veiculadas no jornal “The New York Times”.

Segundo a publicação americana, que conduziu uma investigação sobre o assunto, as acusações existem há quase três décadas, e os episódios ocorreram em vários locais, incluindo os escritórios de sua produtora nos Estados Unidos e na Inglaterra, além de episódios durante os festivais de Cannes e Sundance.

Ainda de acordo com o “New York Times”, o produtor chegou a fechar pelo menos oito acordos com mulheres, incluindo aí uma assistente em 1990, uma atriz em 1997 e uma modelo italiana em 2015.Na reportagem, Ashley Judd afirmou ter sido chamada para falar com o produtor, num hotel em Beverly Hills, o encontrou apenas de roupão e pedindo que ela fizesse uma massagem ou assistisse a ele tomando banho.

Segundo McGowan afirmou ao jornal americano, ela tinha 23 anos e havia acabado de lançar “Pânico” (1996), quando ele a assediou num hotel durante o Festival Sundance. Ela e Weinstein entraram num acordo no valor de US$ 100 mil para “evitar um litígio judicial”.

Entre os mais de 300 títulos que ele produziu, os mais conhecidos estão “Pulp Fiction”, de Tarantino, “Gangues de Nova York”, de Martin Scorsese, e “O Paciente Inglês”, de Anthony Minghella.Ele ganhou um Oscar, como produtor, por “Shakespeare Apaixonado” (1998).

OUTRO LADO

Ao jornal americano, o produtor afirmou o seguinte: “Eu reconheço que a forma como me comportei com colegas no passado causou muita dor, e eu sinceramente peço desculpas por isso. Embora eu esteja tentando melhorar, sei que tenho um longo caminho.”

Weinstein também informou que estava tendo acompanhamento de terapeutas e que tinha planos de tirar uma licença para tratar do assunto. Advogada do produtor, Lisa Bloom, enviou um comunicado afirmando que ele nega todas as acusações.

Fonte: Noticias ao minuto