Projeto de digitalização do acervo documental da CGL/AM começa a ser elaborado

O projeto deverá ficar pronto em um prazo de até 30 dias- foto: divulgação/CGL-AM

As equipes técnicas da Comissão Geral de Licitação do Estado do Amazonas (CGL/AM) e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES) iniciam, na próxima segunda-feira (30), a elaboração do projeto de digitalização de todo o acervo documental físico da CGL/AM. Ao todo, serão digitalizados 49.856 documentos, incluindo os cadastros das empresas e os processos licitatórios – tanto em andamento, quanto os arquivados.

De acordo com o presidente da CGL/AM, Victor Cipriano, o projeto deverá ficar pronto em um prazo de até 30 dias. “É o start para a mudança de paradigma na gestão da CGL”, afirmou Cipriano, ao ressaltar que a iniciativa inédita poderá ser expandida para outros órgãos da administração estadual, que detêm um considerável acervo físico.

Seleção de profissionais

A diretora-técnica da AADES, Márcia Augusta de Souza, informou que, após a entrega do projeto, caso seja aprovado, será lançado um edital para abrir um processo seletivo, provavelmente, no mês de dezembro deste ano, para contratar os profissionais que irão trabalhar na digitalização do acervo da CGL/AM.

Segundo ela, a previsão é que o trabalho de digitalização em si tenha início na primeira quinzena de janeiro de 2018.

Iniciativa inédita

Pela primeira vez desde que foi implantada no final da década de 1990, a CGL/AM vai digitalizar todo o seu acervo físico de processos e de cadastros de empresas. A medida deve melhorar os procedimentos da comissão com a diminuição de custos, a redução da burocracia e o aumento da agilidade no atendimento à população.

A digitalização faz parte da nova política de gestão adotada pelo presidente da CGL/AM, Victor Cipriano, que determinou a modernização de todos os trabalhos da comissão responsável pelas compras do Estado. Segundo ele, a medida vai trazer também economia, mais transparência e rapidez no atendimento as empresas interessadas em vender para o Estado.

Com informações da assessoria