Economia

Projeto de hospedagem alternativa começa a ser implantado em Parintins

Das 165 residências que pleiteiam o "Cama e Café", 65 foram enquadradas para reforma, aquisição de equipamentos e mobílias- foto: divulgação/Assessoria
Redação
Postado por Redação

Pelo menos 165 residências, no município de Parintins, se inscreveram no “Cama e Café”. O projeto é um modelo de hospedagem alternativa, muito comum na Europa, Estados Unidos e em algumas capitais do País.

E nesta semana, técnicos da Amazonastur vão desembarcar na Ilha Tupinambarana para começar a fazer o levantamento dos custos para a reforma, construção e aquisição de equipamentos e mobílias para as residências que irão fazer parte deste projeto de hospedagem.

De acordo com dados da Gerência de Registro e Fiscalização (GRF) da Amazonastur, a procura de hospedagem para o Festival Folclórico de Parintins 2018 está grande. “Esse programa vem suprir a demanda de hospedagem não só para o Festival, mas também para a festa de Nossa Senhora do Carmo e também para o Carnailha, eventos que sempre atraem milhares de pessoas todos os anos”, destacou o presidente da Amazonastur, Orsine Junior.

Cama e Café

Das 165 residências que pleiteiam o “Cama e Café”, 65 foram enquadradas para reforma, aquisição de equipamentos e mobílias. Além dessas, 38 serão construídas, de acordo com a Gerência de Registro e Fiscalização da Amazonastur, responsável pelo levantamento.

Estrutura

O Governo do Amazonas pretende implantar o programa em residências com no máximo três unidades habitacionais para o uso turístico, com serviços de café da manhã e limpeza, no qual o proprietário da casa resida no local também.

“A grande diferença do projeto comparado à hotelaria convencional, que também é muito importante para que a cadeia turística possa funcionar, é o preço da estadia, que é abaixo do mercado, além de ser um serviço diferenciado podendo ser adaptado conforme a necessidade do hóspede”, explicou o presidente da Amazonastur.

Rural

Além da sede do município de Parintins, o Governo também vai implantar o projeto em duas comunidades da zona rural: Caburi e Mocambo. Nelas serão reformadas e construídas 62 residências, além de aquisição de equipamentos e mobílias.

Com informações da assessoria

Comentários

Deixe um comentário