Amazonas

Projeto de Telessaúde em Oncologia Pediátrica será implantado em 8 municípios do AM

O projeto tem como objetivo ampliar a capacitação de agentes comunitários de saúde, médicos e profissionais do Programa Saúde das Família- foto: divulgação/Assessoria
Redação
Postado por Redação

O Instituto Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil (PENSI), realizará no próximo dia 22 de fevereiro de 2018, na cidade de Manaus, a primeira fase do projeto “Telemedicina para a capacitação e orientação à distância de Agentes Comunitários de Saúde, Médicos e Profissionais do Programa de Saúde da Família para o acesso ao diagnóstico e tratamento de Câncer Infanto-Juvenil”, que será implementado por meio de incentivo ao Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON), do Ministério da Saúde.

O Instituto PENSI é o braço assistencial da Fundação José Luiz Egydio Setúbal (FJLES), da qual também faz parte o Sabará Hospital Infantil, referência nacional em atendimento pediátrico.

O projeto tem como objetivo ampliar a capacitação de agentes comunitários de saúde, médicos e profissionais do Programa Saúde das Família em oito municípios do Estado do Amazonas (Eirunepé, Humaitá, Itacoatiara, Lábrea, Manacapuru, Parintins, Tabatinga e Tefé), no diagnóstico e acesso à assistência, em casos de câncer em crianças e adolescentes de forma a ampliar suas chances de cura.

Ao longo do trabalho uma equipe de especialistas, em São Paulo, será responsável pela elaboração de todo conteúdo educativo e de orientação a ser oferecida via plataforma de Educação a Distância (EAD), cedida pelo Instituto PENSI aos participantes do projeto. A equipe de especialistas do Sabará Hospital Infantil dará o suporte aos médicos generalistas locais, auxiliando-os no diagnóstico e na condução inicial dos casos suspeitos de câncer infanto-juvenil, realizado através de plataforma de Telessaúde Segunda Opinião Médica. Nesta mesma lógica, a equipe de São Paulo estará disponível também para suporte em segundo nível aos especialistas de Manaus para auxílio no encaminhamento e condução terapêutica dos casos confirmados.

De acordo com a coordenadora Geral do Projeto, a médica pediatra especializada em Alergia e Imunologia e diretora executiva do Instituto PENSI, Dra. Fátima Rodrigues Fernandes, os munícipios foram escolhidos pela viabilidade técnica de implantação do projeto. “As oito cidades foram selecionadas por que já participam de outros projetos de telemedicina, dispondo de infraestrutura mínima ao desenvolvimento das atividades propostas neste plano”, destaca Fátima.

Nessas cidades, existem 1442 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) cadastrados no Ministério da Saúde e cerca de 129 médicos. O projeto pretende capacitar ao menos 90% dos ACS dessas cidades e 75% dos médicos, que atendem cerca de 460 mil pessoas da região. Como 43% da população do Amazonas tem entre 0 e 14 anos, a estimativa da população que poderá ser beneficiada pelo projeto é de 195 mil crianças e adolescentes.

A primeira fase de articulação local e divulgação do curso será realizada no Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), unidade nomeada Centro de Referência da Alta do SUS na Região Norte. A reunião contará com a presença da diretoria do Instituto PENSI, diretoria do HUFM e Equipe Médica para capacitação. Em paralelo ao processo de articulação local, estão sendo finalizados todos os materiais didáticos para o curso, as vídeo-aulas, cartilhas eletrônicas e algoritmos, que serão utilizados nas capacitações.

Sobre o PRONON

O Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON), foi implantado pelo Ministério da Saúde para incentivar ações e serviços desenvolvidos por entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos. Foi instituído pela Lei 12.715/12 e permite que pessoas físicas e jurídicas que contribuírem com doações para projetos nessa área poderão se beneficiar de deduções fiscais no Imposto de Renda.

Instituto PENSI

O Instituto Pensi é uma associação de fins não econômicos e sem fins lucrativos. Tem como objetivo social a promoção do voluntariado e a realização de pesquisas, desenvolvimentos de tecnologias alternativas, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos na área de saúde e segurança alimentar e nutricional de crianças e adolescentes, promoção da cultura, defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico.

Com informações da assessoria

Deixe um comentário