Proposta inclui educação socioemocional no currículo escolar do AM

Foto: Divulgação/Sedcu

Ao acatar uma indicação do deputado estadual João Luiz (Republicanos), o Poder Executivo deverá enviar à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) um Projeto de Lei que inclui a educação socioemocional no Plano Educacional do Amazonas e nos currículos escolares.

A proposta recebeu o parecer favorável da Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc), por meio do Núcleo de Gestão Curricular, o qual informou, ainda, que o assunto tem sido discutido no âmbito da secretaria para implementação no currículo escolar.

Para João Luiz, autor do Anteprojeto de Lei, a inclusão de habilidades socioemocionais no currículo escolar irá implementar nas instituições de ensino uma cultura de desenvolvimento da inteligência emocional. “A partir da aplicação de uma aula de conhecimento socioemocional, uma hora por semana, os alunos terão a oportunidade de desenvolver a inteligência emocional e a saúde psicossocial, além da construção de relações saudáveis”, ressaltou o parlamentar, ao comentar que a ideia surgiu após participar de rodadas de debates em um fórum da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), nos Estados Unidos, onde a inclusão tem sido adotada com sucesso e resultados eficazes.

De acordo com o Republicano, a proposta respeita as estratégias do Plano Estadual de Educação do Amazonas, a qual visa “oferecer atividades extracurriculares de incentivo aos estudantes e de estímulo a habilidades, inclusive, mediante certames e concursos nacionais, indicando, ainda, incentivos as escolas que aderirem”.

João Luiz afirmou que a ideia é treinar professores para que possam ministrar competências relacionadas ao comportamento e à administração das próprias emoções. “Com o treinamento adequado, os professores vão tornar a aprendizagem socioemocional em uma parte integrante da educação básica, aumentando a capacidade dos alunos de integrar habilidades, atitudes e comportamentos para lidar de forma eficaz e ética com as tarefas e desafios diários”, explicou.

Na avaliação do parlamentar, trabalhar as habilidades socioemocionais é a chave para um desenvolvimento completo do estudante. “A escola de hoje deve formar, além de bons alunos, pessoas preparadas para a vida, profissionais mais capacitados e cidadãos mais conscientes, capazes de resolver conflitos e tomar decisões responsáveis”, concluiu João Luiz, ao acrescentar que os reflexos serão vistos na grade curricular normal com alunos mais comprometidos, melhores notas e maior frequência escolar.

(*) Com informações da ALEAMed