Prosamim inicia cursos profissionalizantes no parque residencial Mestre Chico

Foto: Tiago Corrêa/UGPE

Cerca de 25 moradores dos residenciais do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) irão iniciar as aulas de cursos profissionalizantes nesta segunda-feira (5/10), no residencial Mestre Chico 2, localizado no bairro Cachoeirinha, zona sul da cidade.

Os cursos oferecidos aos moradores serão de Estoquista, pelo turno matutino, e de Almoxarife, no horário vespertino. As turmas contam respectivamente com 10 alunos, iniciando às 8h, e 15 alunos, começando às 13h.

As capacitações profissionalizantes são fruto de uma parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), e têm o objetivo de oferecer maiores oportunidades profissionais para os residentes do Prosamim.

Devido à pandemia de Covid-19, os cursos oferecidos aos moradores dos residenciais do programa estão acontecendo com 50% da capacidade das salas de aula. Estão sendo obedecidas as medidas de segurança e saúde, com distanciamento entre alunos, uso obrigatório de máscara e uso de álcool em gel.

Formações

O curso profissionalizante de Estoquista visa capacitar os participantes nas atribuições desse profissional, que tem a função de armazenar e conferir mercadorias. O estoquista é encarregado da escrituração do livro de controle de estoque, bem como a conferência com notas fiscais, a qualidade, quantidade e vencimento. As principais características da função são: responsabilidade, comprometimento, atenção, agilidade e organização.

Fazendo parte do eixo de gestão e negócios, o curso de Almoxarife tem o objetivo capacitar os participantes nas funções de organizar, programar e controlar o recebimento de materiais. Além de inspecionar e reportar defeitos nos materiais aos seus superiores, o almoxarife realiza inventários e observa normas de segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

As capacitações oferecidas pelo Prosamim estão inseridas no trabalho da Subcoordenadoria Setorial de Projetos Sociais da UGPE.

“As vagas dos cursos oferecidos aos moradores sempre são preenchidas rapidamente, e agora, devido à capacidade de apenas 50% das turmas, acaba que as vagas se tornam ainda mais concorridas”, afirmou a assistente social, Aldenize Amorim.

Com informações da assessoria