Brasil

‘Quero ser lembrado como aquele que não criminalizou a política’, diz Aras

Foto: Pedro França/Agência Senado

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou, nesta terça-feira (24), durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que quer ser lembrado como um procurador que restabeleceu a função constitucional e que não criminalizou a política.

“Quero ser lembrado como um procurador que restabeleceu a função constitucional, que cumpriu a Constituição e as leis; aquele que não criminalizou a política, mas que foi forte para tomar medidas amargas quando necessário. Não quero ser aquele que vai obstar o político, a economia, as religiões”, declarou Aras.

O procurador-geral tem feito reiteradas críticas à Operação Lava Jato e também a seus antecessores na PGR Raquel Dodge e Rodrigo Janot, sem citar os respectivos nomes.

Confira a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta