Reeducandos do Ipat atuam na construção do canil da unidade através do programa ‘Trabalhando a Liberdade’

Foto: Divulgação/Seap

Doze reeducandos inscritos no programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”, idealizado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), estão atuando na construção do canil do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), localizado no Km 08 da rodovia BR-174 (Manaus-Boa Vista). A estruturação do canil e o uso de cães de guarda visam aumentar a eficiência quanto à segurança em todas as unidades prisionais.


Toda a estrutura do canil, com dez baias e uma casa de ração, está a cargo dos apenados trabalhadores. Na obra, os reeducandos realizam diversos serviços, desde a alvenaria, embuço, pintura, hidráulica, tubulação de esgoto, confecção de portas, soldagem até a instalação de telhados.

“Os cães atuam em diversas frentes na unidade prisional, logo é essencial que eles tenham um local adequado para viver aqui”, comentou o diretor do Ipat, Márcio Pinho. “A obra do canil também está sendo uma ótima oportunidade para os nossos internos colocarem em prática o que aprenderam nos cursos de capacitação oferecidos na unidade”, concluiu ele.

Remição – Para a realização da obra, a Seap contou com a parceria da empresa terceirizada RH Multi. Os internos trabalhadores têm ainda o direito a remir um dia da pena a cada três dias de trabalho voluntário não remunerado, como prevê a Lei de Execução Penal (LEP).

Ampliação do canil – Este mês, a Seap também utilizou a mão de obra carcerária de 12 internos para a ampliação do canil do Centro de Detenção Provisório Masculino 1 (CDPM 1). Agora, foram incluídas oito novas baias, aumentando a capacidade do canil de dois para até dez cães.

(*) Com informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)