Repórter xingada de ‘macaca’ por servidor diz está com medo

Foto: Reprodução/Instagram
Era para ser mais um dia normal de trabalho para uma equipe de reportagem da emissora carioca CNT. Mas tudo resultou em um episódio de agressão à imprensa, racismo e gordofobia. O caso aconteceu no final de setembro com a repórter Julie Alves e o cinegrafista Vângelis Floyd enquanto faziam uma reportagem para o programa Fala Baixada, próximo a um posto de saúde em Japeri, na Baixada Fluminense. Segundo a jornalista, a pauta era sobre os problemas em um lixão do local.

Durante a gravação, Julie quis falar com o responsável pelo posto sobre o assunto. Foi quando um homem apareceu e quis impedir as filmagens. Mais tarde, ela descobriu que era o diretor do posto de saúde, Clodoaldo Silva de Souza, conhecido como Dudu. O funcionário começou a xingar e acuar os profissionais, enquanto Julie pedia para continuar gravando. O homem então disse “Pode gravar o que, sua macaca? Vai gravar, seu gordão?”, se referindo à repórter e ao cinegrafista. “Ele estava tão agressivo que pensei que fosse dar um soco na minha cara. Ele veio dar um tapa e eu coloquei o microfone [na frente], que caiu no chão”, explicou Julie.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal Manaus Alerta