Saiba tudo sobre a Coronavac, vacina que pode se tornar a 1ª liberada no Brasil

Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (7), o Instituto Butantan apresentou os resultados de sua vacina contra a Covid-19 à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com os resultados obtidos nos ensaios clínicos de fase 3, o imunizante tem eficácia de 78%.

O pedido de uso emergencial deve ser feito ainda hoje e, a partir daí, o órgão regulador terá 10 dias para analisar o dossiê da vacina e dar uma resposta. Se aprovada, a Coronavac poderá ser aplicada apenas em pequenos grupos de risco. Para a vacinação em massa, é preciso obter o registro definitivo.

A Coronovac foi desenvolvida na China pelo laboratório Sinovac e está sendo testada em vários estados do Brasil, inclusive no Distrito Federal. Por aqui, a pesquisa é conduzida pelo Hospital Universitário de Brasília (HUB) e inclui cerca de 900 pessoas.

O imunizante funciona a partir de um vírus inativado, assim como a vacina de Oxford. Usando coronavírus desativados em laboratório, o corpo reconhece a ameaça (apesar de não ser atacado) e cria uma defesa para neutralizá-la. Caso o paciente seja exposto ao vírus no futuro, o organismo já sabe como se defender.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta