Seap inicia a instalação de novos equipamentos de monitoração eletrônica

Foto: Divulgação/Seap

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio do Centro de Operações e Controle (COC), iniciou nesta terça-feira (1º/9) a instalação dos novos equipamentos de monitoramento com tornozeleira eletrônica destinados aos apenados do regime semiaberto com liberdade provisória e domiciliar.

Os procedimentos estão sendo conduzidos por uma força-tarefa em parceria com a empresa Synergye, que é pioneira no fornecimento de soluções de monitoramento eletrônico de pessoas. De acordo com o diretor do COC, tenente Tales Renan, a atualização do equipamento trará melhorias para o sistema e, consequentemente, para a fiscalização do cumprimento da pena a distância.

“Atualmente nossos dispositivos utilizam a tecnologia 2G. Com a troca, passaremos a operar com o padrão 3G, que possibilitará uma melhor comunicação e uma rápida notificação de eventuais violações, como desligamento de dispositivo, rompimento da tornozeleira e falta de comunicação”, afirmou.

A ação também pretende atualizar os dados sobre os internos monitorados pelo sistema eletrônico do estado, agilizando a comunicação com os órgãos de justiça.

“Nossa equipe tem uma programação para a instalação dos novos equipamentos. Os monitorados são convocados a comparecer ao Centro de Operações e Controle, onde passam por uma atualização de cadastro e posteriormente pela instalação das novas tornozeleiras. Caso o apenado não seja localizado após cinco tentativas, a vara de justiça responsável é prontamente acionada para tomar as devidas providências legais”, explicou Renan.

A nova tecnologia também vai melhorar o poder de comunicação e monitoramento da Seap, uma vez que o 3G apresenta uma efetividade de aproximadamente 95% na comunicação em áreas que antes apresentavam falhas na cobertura do sinal.

Renan também ressalta que os novos equipamentos devem agilizar o atendimento, reduzindo o tempo do processo para a troca das tornozeleiras. “Antes, o tempo de ativação de uma tornozeleira 2G ficava em torno de 40 a 50 minutos. Agora, com a tecnologia 3G, em 5 minutos o apenado já sai do COC com o seu equipamento devidamente ativado”, concluiu.

Atendimentos

Conforme cronograma estabelecido, a força-tarefa deve atender aproximadamente 1.800 monitorados ainda no mês de setembro. Ainda no dia 18 de setembro, uma nova reunião será realizada com o objetivo de contabilizar os dados e assim planejar novas etapas.

Com informações da assessoria