Seap inicia projeto educacional ‘Rumo à Alfabetização’

Foto: Divulgação/Seap

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) deu início nesta sexta-feira (9) ao projeto educacional “Rumo à Alfabetização” no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no km 08 da BR-174 (Manaus-Boa Vista). A iniciativa foi possível por meio de parceria entre a empresa cogestora Reviver Administração Prisional Privada e a Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro).

O projeto tem como principal objetivo promover o acesso à educação básica para Pessoas Privadas de Liberdade (PPLs) que não chegaram a ser alfabetizadas. Inicialmente, a Seap irá beneficiar 50 internos, divididos em duas turmas, com 25 alunos cada, uma no período da manhã e outra à tarde. As aulas acontecerão duas vezes na semana e serão ministradas por oito alunas monitoras do curso de Pedagogia do Centro Universitário Fametro. O término está previsto para dezembro.

Durante a cerimônia de abertura do projeto, a professora da Fametro, Jucelem Guimarães Ramos, defendeu o poder transformador da alfabetização. “Saber ler e escrever é o que nos torna cidadãos pensantes. Através da educação somos capazes de identificar o ‘certo’ e o ‘errado’”, disse ela. Quem partilha de opinião semelhante e é uma grande apoiadora do projeto, é a diretora da Escola de Administração Penitenciária (Esap), Sônia Cabral, “a educação é o carro-chefe do processo de ressocialização dos PPLs“.

O diretor do Compaj, Lucas Maceda, também trocou algumas palavras com os internos na ocasião. “Esse projeto vai funcionar como uma ferramenta para que vocês, daqui a um tempo, possam realizar a modalidade de ensino de Educação de Jovens e Adultos (EJA), e depois, se assim desejarem, fazer um curso de ensino superior”, informou.

Quem também esteve presente no evento foi o secretário-executivo adjunto da Seap, coronel André Luiz Barros Gioia. “Me alegra muito ir a uma unidade prisional e ver os projetos que idealizamos se concretizando. Dormimos pensando em novas atividades de ressocialização para os internos, de modo que eles retornem para a sociedade transformados”, revelou Gioia. O coronel ainda disse que a Seap tem interesse em expandir o projeto educacional em outras unidades.

(*) Com informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)