Seduc abrirá vagas de mestrado em Educação para servidores da capital e do interior

Os professores convocados deverão comparecer na sede da Seduc, localizada na avenida Waldomiro Lustoza, bairro Japiim 2, na quinta (24) e sexta-feira (25)-(Foto: Divulgação)

A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC/AM), em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), disponibilizará, no primeiro semestre deste ano, 30 vagas para o curso de Mestrado em Educação, do Programa de Pós-Graduação de Educação da universidade. As vagas são para professores e pedagogos lotados nas escolas da rede pública estadual na capital e no interior do Estado. O edital de seleção será divulgado em breve.

De acordo com a diretora do Centro de Formação Profissional Padre José de Anchieta (Cepan) da SEDUC, Regina Marieta Teixeira, o mestrado contempla uma das metas previstas do Plano Estadual de Educação.

“A gente tem um objetivo, que é contemplar a meta 16 do Plano Estadual de Educação e também do Plano Nacional, que traz exatamente o investimento na formação nível lato sensu e stricto sensu. Com relação à estrutura da valorização, da formação em si, da formação docente, a Secretaria quer preparar esse professor, instrumentalizá-lo para ele exercer melhor a sua prática, a sua função enquanto docente. Nessas pós-graduações, eles vão se apropriar de ferramentas específicas de como fazer a abordagem didática das diferentes áreas do conhecimento, melhorar a sua performance enquanto professor e lógico, melhorar a estrutura da formação de cada aluno, potencializar a aprendizagem deles”, explicou.

Ainda segundo Teixeira, além das vagas já formalizadas, a SEDUC está em articulação para a oferta de novas oportunidades de mestrado.

“Já formalizamos 30 vagas com a Universidade Federal do Amazonas no Programa de Pós-graduação em Educação, que é um mestrado bem antigo da universidade. Estamos ainda em tratativas com outros programas de dentro da própria Universidade Federal para que a gente contemple mais 30 vagas e também em negociação com a Universidade do Estado. Nós temos uma meta e estamos correndo atrás para atender”, afirmou a diretora, acrescentando que as vagas serão também em outras áreas do conhecimento.

Requisitos

Para participar do processo seletivo, o servidor deverá ser detentor de cargo efetivo e estável de professor ou pedagogo da SEDUC, desempenhando ações, projetos ou programas que tenham relação com as linhas de pesquisa do mestrado: processos educativos e identidades amazônicas (linha 1); educação, políticas públicas e desenvolvimento regional (linha 2); formação e práxis do educador frente aos desafios amazônicos (linha 3); e educação especial e inclusão no contexto amazônico (linha 4).

Além disso, os interessados deverão atender aos seguintes requisitos: não estar frequentando curso de pós-graduação (stricto sensu), financiado pela SEDUC ou quaisquer órgãos ou agências do Estado e Governo Federal; não possuir titulação de mestrado; não estar cumprindo a contraprestação de serviço em decorrência de afastamento ou financiamento de estudo concedido pela Secretaria; ter a cumprir, pelo menos, cinco anos de efetivo exercício na Secretaria, contados a partir da data da inscrição no processo seletivo para completar as condições exigidas para a sua aposentadoria; possuir carga horária de trabalho entre 20h e 40h; ter disponibilidade de horário no turno em que ocorrerem as aulas do curso; e possuir curso de graduação.

Vagas

De acordo com a SEDUC, as vagas para o mestrado serão distribuídas da seguinte forma: professores e pedagogos lotados em escola (15 vagas); gestores escolares e coordenadores distritais e regionais (5 vagas); professores e pedagogos lotados nas coordenadorias Distritais e Regionais (5 vagas); professores e pedagogos lotados no macrossistema, que desempenham atividade fim, de acordo com a lei delegada nº 3642 de 26 de julho de 2011 (5 vagas).

O ingresso dos aprovados no processo seletivo será feito em duas turmas de 15 alunos, sendo uma em 2018 e a outra em 2019, respeitando a ordem de classificação decrescente.

O servidor que atua no interior do Estado, caso seja aprovado em todas as etapas do processo seletivo, deverá solicitar a sua remoção para a capital, onde permanecerá até a conclusão do curso. As despesas da remoção e permanência em Manaus deverão ser custeadas pelo próprio educador.

O mestrado será cursado sem que haja o afastamento/licença do servidor de suas atividades funcionais.

Com informações da assessoria