Seinfra inicia construção das paradas de ônibus da Avenida das Flores

(Foto: Francisco Souza)

Os serviços para a construção das paradas padronizadas do corredor de ônibus da Avenida das Flores foram iniciados no trecho 4, que terá um total de 8,2 quilômetros de extensão, informou a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra).

Este trecho está localizado entre o igarapé do Passarinho até a AM-010 (Manaus – Itacoatiara) e a previsão é que sejam construídas 28 paradas em todo o corredor de ônibus, sendo 20 no trecho 4, seis no trecho 3, e duas no trecho 2 da Avenida das Flores.

Estão em pleno funcionamento 6,5 quilômetros do trecho 4, mais precisamente entre a rua 7 de maio, zona norte, até a rodovia AM-010. Nesta área já estão concluídas as obras de calçadas, meio-fio, sarjetas, implante de grama nas laterais, iluminação, pintura de sinalização das vias e implantação das placas de trânsito.

Além desses serviços, também está sendo dada continuidade ao trecho 2, situado entre as avenidas Timbiras e Noel Nutels, na Cidade Nova I, com o serviço de construção da trincheira sob a Noel Nutels; e trecho 3, localizado entre a rua Fênix, na Cidade Nova I, até o igarapé do Passarinho, no Monte das Oliveiras, Conjunto Nova Cidade, com os serviços de finalização de calçada, meio-fio, sarjeta, pavimentação e sinalização da via.

Maior corredor de ônibus – Com investimento de R$ 244,4 milhões e 11,1 km de extensão, a Avenida das Flores, mais os 6,2 quilômetros da Avenida das Torres (considerada como o trecho 1), será o maior corredor de ônibus de Manaus. Esta avenida terá duas mãos de fluxo com um canteiro central e três faixas para circulação de veículos em cada lado, sendo uma delas em cada via reservada para o corredor exclusivo de ônibus.

Quando estiver em pleno funcionamento, a Avenida das Flores se transformará, juntamente com os anéis viários, em uma nova alternativa de rota aos veículos que trafegam entre as zonas Leste, centro-sul e norte. Ela será uma das mais importantes intervenções viárias destinadas a melhorar a mobilidade urbana da capital amazonense