Sejusc realiza ação para pessoas em situação de rua, nesta sexta (21)

Foto: Divulgação

Em alusão do Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua, comemorado nesta quarta-feira (19), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), promove, na sexta-feira (21), uma ação na Praça Heliodoro Balbi (conhecida como Praça da Polícia), Centro de Manaus, para marcar a data e sensibilizar a população sobre os direitos desse público.

A atividade começa às 9h, com um café da manhã e falas de representantes de espaços religiosos, da Sejusc e da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), além de espaços que trabalham com este público, como a Comunidade Nova Aliança (CNA), Centro de Formação Vida Alegre, Desafio Jovem Manaus e o projeto Mais Amor. O Coral Vozes da Rua, grupo composto por pessoas em situação de rua, também se apresentará aos presentes. A ação contará ainda com cortes de cabelo e um trailer onde os convidados receberão banho, um kit de higiene e roupas.

O secretário William Abreu, titular da Sejusc, disse que a expectativa é reunir até 200 pessoas em situação de rua. Baseado nos números do Cadastro Único (CAD Único), ele aponta, ainda, que 800 pessoas vivem em situação de rua na capital do Amazonas.

De acordo com a secretária executiva de Direitos Humanos da Sejusc, France Mendes, a data simboliza a luta contra a discriminação. “Esse grupo ainda sofre muitos preconceitos e ainda são marginalizados pela sociedade. Essa ação é alusiva ao dia 19 de agosto e é de grande importância no combate ao preconceito e à discriminação. Queremos chamar a atenção da sociedade para essa causa. Todas as pessoas que se encontram em situação de rua são sujeitos de direitos. Elas existem e merecem o respeito de todos”.

Monitoramento

A Sejusc, por meio da Gerência de Políticas para a População em Situação de Rua, ligada à Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH), realiza o trabalho de monitoramento desse grupo. A gerência promove blitz noturnas para verificação da situação da população nos logradouros públicos, mapeamento da rede que assiste o grupo e direciona as pessoas para acolhimentos. A SEDH também recebe denúncias pelo Disque 100.

As informações são da assessoria