Servidores do AM protestam em frente a sede do governo; manifestação deve durar 48 horas

37
Servidores se reuniram na manhã desta quinta-feira (8), em frente a sede do governo do Estado, para protestar contra PL 84/2019 - Foto: Patrick Marques/G1 AM

Servidores públicos do Amazonas se reuniram na manhã desta quinta-feira (8), em frente a sede do governo do Estado, localizada na avenida Brasil, bairro Compensa, zona Oeste de Manaus, para exigir que o governador Wilson Lima revogue o Projeto de Lei (PL) 84/2019 – que congela os salários dos servidores públicos até 2021 -, além de reivindicar melhorias nas condições de trabalho. Na ocasião, cerca de 18 sindicatos participam do ato.

O Movimento Unificado dos Servidores Públicos (Musp) – composto pelas categorias de Educação, Segurança e Saúde Pública – decidiu no último sábado (3), em Assembleia, que a greve geral deve durar 48 horas.

Segundo os profissionais, as categorias vem sofrendo um grande “massacre” por parte da gestão atual. Para eles, o governador “está tentando jogar a culpa de sua incompetência nas costas dos servidores por não ter conseguido tirar o Estado do ‘vermelho’.

Os manifestantes permaneceram em frente a sede do governo até às 11h de hoje. Na sexta-feira (9), a concentração em frente da Arena da Amazônia terá início a partir das 7h, onde haverá uma carreata com destino até a sede da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), no bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul da capital, e finalizando o ato na sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Nota da Susam

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Susam), as unidades da rede estadual mantiveram o atendimento nesta quinta-feira. A secretaria reitera que mantém planos de contingência para eventuais paralisações e que trabalha atualmente no reordenamento da rede de assistência para melhorar o atendimento.

Na segurança pública, o Comando Geral da Polícia Militar do Amazonas e a Secretaria de Segurança Pública asseguram que o policiamento nas ruas e atendimentos nas delegacias também estão funcionado. De acordo com o Comando Geral da PMAM, as faltas registradas até o momento estão na mesma média de ausências, por motivos diversos, de servidores, o que não compromete o policiamento, que segue em normalidade na capital e no interior.

Na área da educação, levantamento feito nesta manhã pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), aponta que das 232 escolas da capital, somente duas suspenderam aulas nesta quinta-feira. Não há informação sobre paralisação das unidades de ensino no interior do Estado.

Ainda conforme a nota, todos os gestores da administração estadual estão atentos a qualquer eventual alteração que comprometa a prestação do serviço público e que, caso ocorram, adotem medidas de contingência para não prejudicar o atendimento à população.