Cidades

SES-AM capacita servidores para implantação do sistema de gestão de óbitos

Foto: Rodrigo Santos/SES-AM

Servidores dos Hospitais e Prontos-Socorros (HPS) e das maternidades da rede estadual de saúde participarão de treinamento para implantação do sistema de gestão de óbitos na próxima terça-feira (1), no auditório da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM). A ferramenta de modernização está inserida na política de humanização da SES-AM, do Programa Saúde Amazonas, com o acolhimento adequado aos familiares de pacientes.

“A ferramenta faz parte de um conjunto de estratégias que vêm sendo construídas pela gerência de humanização que possibilitem melhorar os processos de trabalho das equipes de saúde e, assim, ofertar um atendimento mais acolhedor, resolutivo e organizado para os nossos usuários”, disse a gerente de humanização da SES-AM, Ana Karla Pimenta.

O sistema foi desenvolvido pela Secretaria Executiva Adjunta da Tecnologia da Informação (Seati) da SES-AM, em parceria com a gerência de humanização da secretaria, a Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e o Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) dos hospitais, e irá agilizar o processo para liberação de corpo e melhorar o fluxo nos necrotérios das unidades de saúde da rede.

“Muito importante que no momento de dor pela perda de alguém querido, a equipe de saúde tenha instrumentos que garantam que as informações prestadas são seguras e fidedignas”, afirmou a gerente.

A subcoordenadora de projetos sociais da UGPE, Viviane Dutra, integrou a equipe de profissionais responsáveis pelo acolhimento e orientação das famílias de pacientes internados em tratamento da Covid-19 e explicou que a ferramenta de gestão atende demanda das unidades, registrada durante a primeira e segunda alça epidêmica da doença, e organiza o fluxo desde a ocorrência do óbito até o sepultamento.

“Ao analisar como as unidades lidam com a gestão de óbitos identificamos a necessidade e a possibilidade de aperfeiçoar esse processo. A nossa principal meta é ter condições de realizar a gestão de insumos e dar às famílias o devido acolhimento, respeito e atenção até o último momento desse paciente no hospital ainda que esteja em óbito. A ferramenta irá aumentar o processo de humanização e de acolhimento”, ressaltou.

Sobre o treinamento 

A capacitação para utilização do obituário eletrônico será realizada com as equipes de serviço social, psicologia e enfermagem dos HPS Adulto e Infantil e sete das maternidades da rede.

“De início será implantado nas unidades de urgência e emergência e na rede de maternidade. O treinamento irá capacitar os técnicos que atuam nesta atividade para que possam começar o uso da ferramenta. Conforme o uso for sendo efetivado, vamos ampliar para toda a rede estadual de saúde”, finalizou Dutra.

As informações são da assessoria