Foto: BRUNO ZANARDO/SECOM

O Gabinete de Crise da Segurança Pública realizou vistoria em três unidades prisionais de Manaus, na manhã desta terça-feira (11), como parte de ações preventivas e de controle da ordem determinadas pelo governador do Amazonas, Wilson Lima. As inspeções ocorreram no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), e Centro de Detenção Provisória Masculino 1 e 2, situados no km 8, da BR 174. Em toda a capital, a Polícia Militar desencadeia a operação Guardião, com barreiras de fiscalização e incursões policiais em regiões alvo de denúncias de tráfico de drogas.

Um alerta do Sistema de Inteligência foi emitido, ontem, e motivou a instalação do Gabinete de Crise pelo governador em exercício, Carlos Almeida. O levantamento apontava risco de desestabilização no sistema prisional em decorrência de homicídios registrados na cidade relacionados ao conflito entre grupos rivais de criminosos, que brigam por territórios para o comércio ilegal de drogas.

“O Sistema Integrado de Inteligência monitora tanto a parte do sistema prisional quanto a parte de rua. Qualquer alerta é comunicado de imediato ao secretário e demais integrantes do Sistema, que repassa ao chefe do Executivo para a ativação ou não do comitê”, informou o secretário executivo de Segurança Pública, coronel Anézio Paiva.

Operações policiais

Desde a noite de segunda-feira (10), a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) determinou aumento de operações policiais na capital para prevenir conflitos entre grupos rivais de traficantes. Além do efetivo que faz parte do trabalho ordinário das polícias, estão sendo convocados policiais que integram os setores administrativos dos órgãos da Secretaria de Segurança, das polícias, além dos policiais cedidos para órgãos dos outros poderes.

Nas últimas horas, foram mais de 20 prisões e a apreensão de 12 armas de fogo na cidade. Entre os casos, um trio investigado pela autoria de pelo menos dez homicídios foi preso durante operação da Secretaria de Segurança na zona leste de Manaus. Com eles, quatro armas de fogo foram encontradas. Na zona sul, policiais da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) prenderam cinco homens que estavam soltando fogos na cidade. O caso foi encaminhado para o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil.

“Estamos com a força total do Sistema de Segurança e essas operações não têm tempo para acabar. O Sistema não fala em facção, mas em criminosos. Qualquer pessoa que faz frente ao Estado é tratada como criminoso, e será combatido como tal”, enfatizou Paiva, durante entrevista coletiva realizada na tarde desta terça-feira.

Vistorias em unidades prisionais

Pela manhã, o Sistema de Segurança realizou inspeção em três presídios com o intuito de prevenir possíveis conflitos nas unidades carcerárias. O secretário executivo de Segurança Pública, coronel Anézio Paiva, o secretário de Administração Penitenciária, coronel Vinicius Almeida, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ayrton Norte, e representantes da Vara de Execuções Penais, Ministério Público do Estado e Defensoria Pública do Estado integraram a comitiva que percorreu as penitenciárias.

“A Seap está fazendo o trabalho dela, junto com a PM. Houve reforço nas muralhas e na revista. Os órgãos estão trabalhando de forma preventiva para que nenhuma situação que extrapole a normalidade ocorra”, enfatizou Paiva.

Policiais militares do Comando de Operações Especiais, Batalhão de Choque, Rocam e o Corpo de Bombeiros acompanharam os trabalhos. Por via aérea, as unidades prisionais foram monitoradas por helicópteros do Departamento de Operações Aéreas da Secretaria de Segurança Pública. Outros sobrevoos foram realizados ao longo do dia no sistema prisional e na cidade.

*Com informações da assessoria