SP tem mais de 200 candidatos milionários que receberam auxílio emergencial, diz TCU

Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

O estado de São Paulo tem ao menos 208 candidatos a vereador, prefeito e vice-prefeito que declararam renda superior a R$ 1 milhão, mas que constam na lista do Ministério da Cidadania como beneficiários do auxílio emergencial do governo federal, segundo auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU). As informações são do G1.

O órgão cruzou a lista de bens declaradas pelos candidatos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o cadastro do auxílio emergencial e constatou quase 11 mil candidatos em todo o país, que têm patrimônio superior a R$ 300 mil, mas que receberam o auxílio emergencial, seja na forma inicial de R$ 600 ou os R$ 300 residuais do programa. São Paulo e Minas Gerais são recordistas nas irregularidades.

Em São Paulo, o TCU detectou que 1.980 candidatos em todo o estado estão na lista de beneficiários do auxílio emergencial e têm patrimônio declarado acima de R$ 300 mil. Do total, 37 são candidatos ao cargo de prefeito, 48 de vice-prefeito e 1.895 de vereador.

Nesse grupo de 1.980, 208 são candidatos com patrimônio declarado de mais de R$ 1 milhão. O caso que chama mais atenção em São Paulo é o de um candidato a vereador da cidade de Espírito Santo do Pinhal, que tem o patrimônio declarado de R$ 13,5 milhões, mas que estava recebendo o auxílio residual de R$ 300 do governo federal.

Entre os bens declarados desse candidato há três fazendas avaliadas em R$ 3 milhões cada, mas o nome dele aparece entre os beneficiários do auxílio emergencial, solicitado através do aplicativo da Caixa Econômica Federal.

Em todo o país, o TCU identificou ao menos 1.320 candidatos com o patrimônio superior a R$ 1 milhão, além de outros 2.525 que declararam ao TSE patrimônio de até R$ 750 mil