Técnicos da Aadesam avaliam como positivo apoio prestado ao TRE-AM no 1º turno das eleições

Foto: Divulgação/Aadesam

Apesar dos desafios logísticos de transmitir dados em locais de difícil acesso, operadores de transmissão da Agência de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental (Aadesam) que prestaram apoio ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) avaliaram como positivo o trabalho no primeiro turno das eleições 2020.

Mais de 400 técnicos atuaram na capital, incluindo áreas rurais, e também nos 61 municípios do interior do estado, fazendo o trabalho de transmissão de dados dos votos das urnas eletrônicas das seções até o sistema totalizador de votos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O presidente da Aadesam, Bráulio Lima, afirmou que a participação positiva dos colaboradores da Agência no pleito do primeiro turno só vem colaborar com a parceria de sucesso com o TRE-AM.

“O balanço que nós temos é extremamente positivo, não tivemos nenhuma ocorrência maior que comprometesse a execução das eleições. Então, é parabenizar toda equipe, todos os envolvidos, tanto da Aadesam quanto do TER, e manter essa mesma pegada, esse mesmo ímpeto pra manter a qualidade no segundo turno”, afirmou.

Treinamento e desafios

A prestação de serviço dos colaboradores ao TRE-AM começou no início de novembro, com treinamentos teóricos e práticos na sede da instituição. E ganhou contornos desafiadores às vésperas e no dia da eleição, principalmente no deslocamento dos colaboradores até o ponto de transmissão. Muitos deles levaram horas de carro para chegarem ao destino.

No dia do pleito, a técnica de transmissão Claudeneila da Silva Costa saiu de Manaus às 4h para chegar ao Colégio Municipal Abílio Alencar, situado numa área rural à margem da rodovia AM-010, antes das 7h. A votação no local foi tranquila e não teve ocorrências, mas o sinal do equipamento BGAN (satélite) oscilou no momento da transmissão, estendendo o trabalho por uma hora e meia.

Apesar da dificuldade momentânea, Claudeneila considerou muito especial colaborar com o pleito. “Muito significativo poder contribuir com a democracia de nosso país, da nossa cidade. Uma experiência única. E no final, vem a gratificação de que tudo ocorreu bem. E conseguimos alcançar um resultado positivo”, afirmou.

Técnicos no Careiro

Alguns técnicos tiveram de se deslocar dias antes da data da eleição. Caso do colaborador Ailton Carlos Nascimento, que chegou ao Careiro Castanho na última quarta-feira (11). De lá, seguiu viagem por quase cinco horas, por 30 quilômetros na BR-319 e mais seis de ramal, até a comunidade rural Vila de Sumaúma.

Na Escola Municipal Pedro de Alcântara, onde Ailton ficou instalado e que atendeu como seção eleitoral três comunidades da área, um problema de energia obrigou a manter as urnas eletrônicas à base de bateria interna por cerca de duas horas. Ele trabalhou na transmissão de dados por duas horas após o fim do pleito, e avaliou a experiência como enriquecedora.

“Levarei comigo na memória conhecer lugares isolados, onde não pega sinal de celular, onde a água é ligada cinco e trinta da manhã e desligada as oito da noite, comunidades cheias de histórias”, afirmou.

Apesar de já ter atuado como técnico de transmissão, ele revelou um certo receio nestas eleições. “A maior dificuldade era não saber para onde ia e o que me esperava lá, mas tudo deu certo, e aquela ansiedade de não saber o que vinha pela frente foi superada”, disse.

Parceria

Ao todo, 695 pessoas, entre técnicos de urna e de transmissão, foram contratadas pela Aadesam, por meio do Processo de Credenciamento de nº 008 Aadesam/TRE, para prestar apoio logístico ao Tribunal Regional Eleitoral nos 62 municípios do Amazonas.

As informações são da assessoria