Teste de Telemedicina no Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira traz resultados positivos

Foto: Cap Leciane

Nos dias 30 e 31 de julho, o Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira, no interior do Amazonas, passou por testes de telemedicina. Mais de 20 consultas remotas conectaram especialistas do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, a pacientes indígenas assistidos no município.

Todas as teleconsultas ocorreram sem problemas técnicos, sendo consideradas um sucesso por médicos e pacientes. A ação dos Ministérios da Defesa, da Saúde e da Ciência e Tecnologia conta com o apoio do Hospital das Forças Armadas, do Hospital Israelita Albert Einstein, do Instituto Laura Fressatto e da AMD Telemedicina.

Para o senhor Antônio Correira, de 65 anos, a consulta com um urologista foi de grande importância, pois, através de um ultrassom transmitido ao vivo para o especialista em São Paulo, foi possível identificar a gravidade da situação do paciente e a indicação direta de cirurgia. “Só tenho que agradecer, achei o atendimento muito bom”, disse, emocionado, após a teleconsulta.

O Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira está localizado a mais de 850 quilômetros de Manaus (AM) e é o único hospital público da região, sendo administrado pelo Exército Brasileiro. A organização atende a uma população de 45 mil pessoas, com público formado por 90% de indígenas. “Aqui não tem os especialistas em todas as áreas, então, com a telemedicina, poderemos discutir casos com especialistas que nos ajudarão a chegar ao melhor diagnóstico para cada paciente”, destacou a chefe da Divisão Médica, Tenente Maria Cristina Pazza Rodrigues.

Uma equipe voluntária se uniu com o propósito de melhorar o atendimento médico no interior do país com o uso da telemedicina. Os testes foram realizados no distrito de Iauaretê, nos dias 28 e 29 de julho, e no município de São Gabriel da Cachoeira, dias 30 e 31 de julho. Ao todo, mais de 50 pessoas foram atendidas nos quatro dias de teleconsultas com diferentes médicos especialistas, todos voluntários, de diferentes áreas, como psiquiatria, cardiologia, urologia, obstetrícia, reumatologia e neurologia.

O médico ginecologista e obstetra Eduardo Cordioli, do Hospital Israelita Albert Einstein, fez parte da equipe de testes. Para ele, “poder levar medicina de excelência para todo Brasil é algo que emociona”, disse o médico, enquanto segurava a recém-nascida da etnia Hupda. O nascimento seguro da bebê só foi possível após a realização de um ultrassom durante os testes em Iauaretê, quando identificou-se a necessidade de evacuação imediata da grávida para São Gabriel da Cachoeira para a realização de uma cesariana.

O Coronel Geraldo de Barros Cavalcanti Júnior, do Hospital das Forças Armadas, é o coordenador da missão de testes e explica que o objetivo é identificar a viabilidade desse serviço de telemedicina. “Antes de transformar em um projeto, vimos a necessidade de vir à região e identificar de fato o material mínimo necessário e se há realmente o interesse da comunidade”, esclarece. Após o sucesso das consultas e a satisfação da população atendida, parece não haver dúvidas quanto ao sucesso dos testes.

(*) Com informações do Exército Brasileiro