Titular da Seap participa de live com estudantes de Direito de faculdade do Pará

Foto: Divulgação/Seap

O secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), coronel Vinícius Almeida, participou na noite desta quinta-feira (1º) de uma live com estudantes do 9º período do curso de Direito da Faculdade Faci, de Belém (PA). Ele foi convidado pelo professor doutor Alisson Monteiro para falar sobre o tema “Encarceramento, Segurança Pública e Reinserção Social”.

Almeida fez um retrospecto do sistema prisional do Amazonas nos últimos três anos, abordando as principais crises registradas no período e os desafios do poder público frente à criminalidade e o combate ao narcotráfico.

Na palestra, Vinícius Almeida falou sobre as ações implementadas pelo Governo do Estado para aperfeiçoar e manter o controle do sistema penitenciário. As principais medidas apontadas pelo secretário foram a criação do Grupo de Intervenção Penitenciária (GIP), o Procedimento Operacional Padrão (POP), a reforma das unidades prisionais e a implantação do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”.

“O objetivo é proporcionar o aprendizado da atividade laboral, a remição de pena, a remuneração e, principalmente, evitar a retroalimentação dos ciclos de criminalidade e taxas de reincidência”, comentou. Durante a apresentação, o secretário abordou ainda o uso da mão de obra carcerária dentro dos presídios e em prédios e espaços públicos. “Nossa unidade feminina do regime fechado foi a primeira do país a ter 100% das internas trabalhando”, informou.

Rota do Solimões

Durante a apresentação, o secretário contou ainda que a aproximação do Amazonas com a Venezuela, Colômbia e Peru acarreta vulnerabilidade de ações delituosas, entrada de munições e armas de fogo pela facilidade do transporte fluvial no Alto Solimões.

Por conta disso, destacou Almeida, o Governo do Amazonas inaugurou em agosto a primeira base fluvial da Amazônia Legal, a Base Arpão, localizada entre os municípios de Tefé e Coari. “Em 30 dias de operação, a base gerou um prejuízo superior a R$ 4,2 milhões ao crime organizado”, disse. Ao final da palestra, o secretário respondeu a questionamentos dos estudantes, que agradeceram pela participação e pelas experiências compartilhadas no encontro virtual.

As informações são da assessoria