‘Tomar vacina não é decisão pessoal, é coletiva’ diz médica ao rebate comentário de Bolsonaro

Foto: Arquivo/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) provocou nova polêmica ao afirmar que ninguém será obrigado a receber a vacina contra a Covid-19. “A vacina, ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina”, disse em resposta a uma apoiadora no jardim do Palácio da Alvorado, na segunda-feira (31/8). No dia seguinte, a fala foi reproduzida em suas redes sociais pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Em nota, a Sociedade Brasileira de Imunizações(SBIm) afirmou que entende ser “dever das autoridades públicas e dos profissionais da saúde conscientizar a população acerca da importância da vacinação, independentemente da obrigatoriedade, sob pena de vivermos retrocessos como a volta do sarampo devido às baixas coberturas vacinais”.

A entidade lembrou que é dever de cada pessoa buscar a vacinação com o objetivo não apenas da proteção individual, mas também coletiva. Em entrevista ao Metrópoles, a pediatra Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm mostrou preocupação com o posicionamento do chefe do executivo.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal Manaus Alerta