Tragédia Ambiental: após 1 ano, óleo segue matando vida marinha na costa

Foto: Divulgação/ Marinha

Há cerca de um ano, praias nordestinas começaram a ser atingidas por um enorme vazamento de petróleo cuja origem as investigações ainda não descobriram. Apesar de as cenas mais dramáticas, de grandes manchas na areia e animais cobertos óleo, terem passado, os danos à natureza permaneceram – e avançam.

Uma pesquisa do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA) que está sendo finalizada para publicação chegou a conclusões alarmantes em praias que eram monitoradas há 25 anos: desde o início da tragédia ambiental, a biodiversidade de seres marinhos invertebrados experimentou uma queda de aproximadamente 80%.

O número de espécies a cada 35 metros quadrados era de 446 antes da chegada do óleo, e caiu para 74 em julho deste ano, conta o cientista Francisco Kelmo, diretor do estudo e do Instituto de Biologia. O branqueamento dos corais, que indica seu enfraquecimento, subiu 86% após o vazamento.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal Manaus Alerta