Lazer

Transportar animais de estimação em avião exige cuidados especiais

Quem tem animal de estimação sabe o quanto é difícil viajar e deixá-lo em casa, mesmo que seja por pouco tempo.
Redação
Postado por Redação

Quem tem animal de estimação sabe o quanto é difícil viajar e deixá-lo em casa, mesmo que seja por pouco tempo. Para quem não abre de levar o pet na viagem, saiba que é possível transportar animais no avião, porém, é preciso tomar alguns cuidados, para garantir a segurança dele e dos passageiros.

O primeiro passo, antes da viagem, é verificar se a companhia oferece o serviço de transporte de animais para o destino escolhido. Segundo a gerente de Aeroportos da MAP Linhas Aéreas, Thais Monteiro, em geral, as companhias transportam cães e gatos de pequeno porte na cabine, junto com o passageiro. Os demais podem ser levados no compartimento de cargas. Na MAP, companhia que opera para 14 destinos do Amazonas e Pará, na cabine é autorizado o transporte de animais com até 5 quilos.

No avião é necessário que os animais estejam acomodados em uma caixa de transporte, que pode ser adquirida em pet shops. A caixa pode ser de material rígido ou flexível. Antes de comprá-la, o ideal é verificar se as dimensões estão de acordo com as permitidas pela companhia aérea. Na MAP são permitidas caixas com 24 centímetros de altura, 36 centímetros de largura e 40 centímetros de comprimento.

Thais Monteiro orienta que os passageiros entrem em contato com a companhia aérea com pelo menos 48 horas de antecedência, para saber das restrições e do que está liberado. Ela ressalta, por exemplo, que há restrições com relação ao número de animais a serem transportados. No caso da MAP, são três pets por voo. Quem for viajar pela companhia, pode entrar em contato com a central de atendimento ao cliente, no telefone 4020-1620. “Avisar a companhia com antecedência evita transtornos e surpresas na hora do embarque”, disse.

De acordo com Thaís, para viajar com o pet é preciso apresentar alguns documentos, como a carteira de vacinação, comprovando que o animal está vacinado contra raiva, e um atestado de saúde, que deve ser emitido por médico veterinário. “Esse documento deve ter validade de 10 dias e ser emitido com até 72 horas de antecedência do voo”, explicou.

No dia do embarque é necessário, ainda, preencher um formulário no balcão, com os dados sobre o proprietário do animal, como endereço, código de reserva e telefone. “Seguindo essas dicas é possível transportar o animal de estimação em segurança e sem preocupação”, ressaltou.

Com informações da assessoria

Comentários

Deixe um comentário