Trump irá criar comissão para analisar fraudes em eleições

foto: reprodução

Em janeiro, Trump anunciou que instituiria uma investigação sobre a fraude eleitoral nas eleições

O presidente americano, Donald Trump, planeja criar uma comissão nesta quinta-feira (11) para investigar suspeitas de fraude e a supressão de votos no sistema eleitoral dos EUA, informaram as agências de notícias Reuters e “Associated Press” a partir do relato de fontes anônimas da Casa Branca.

Trump planeja assinar uma ordem executiva criando a Comissão Presidencial sobre Integridade Eleitoral, que seria liderada pelo vice-presidente Mike Pence.

No cargo desde janeiro, Trump já afirmou que houve uma ampla fraude eleitoral nas eleições de novembro.

O republicano venceu o pleito com a vitória no Colégio Eleitoral, mas perdeu no voto popular para sua rival democrata, Hillary Clinton, por cerca de 3 milhões de sufrágios.

Em janeiro, Trump anunciou que instituiria uma investigação sobre a fraude eleitoral nas eleições, embora funcionários do governo e especialistas eleitorais afirmem que isso é raro nos Estados Unidos.

O movimento foi visto com cautela por alguns republicanos e democratas. Segundo eles, as alegações infundadas de Trump poderiam minar a confiança no sistema eleitoral e no novo presidente.

A comissão bipartidária que está poderá ser estabelecida nesta quinta-feira não se limitaria a investigar as alegações de fraude eleitoral feitas por Trump, mas também examinaria outras questões que foram sido levantadas ao longo dos últimos anos, como inscrições impróprias de eleitores, registro fraudulento e supressão de votos, afirmou uma das fontes.

Os democratas há muito acusam os republicanos de tentar reduzir a participação entre eleitores minoritários e de baixa renda, seja criando barreiras -como exigir cartões de identidade para votar-, seja por meio de intimidação.

A criação do painel coincidiria com investigações em curso nos EUA sobre a suposta intromissão russa nas eleições de novembro, incluindo vazamento de emails e a circulação de notícias falsas. Moscou, porém, negou qualquer tentativa de interferência.

Fonte: noticias ao minuto