Cidades

Unidade Fluvial do Ipem-AM dará suporte em ações emergenciais na ‘Operação Enchente 2021’

Foto: Arthur Castro / Secom

Visando atender os municípios afetados pela cheia dos rios, o Governo do Amazonas montou uma força-tarefa de órgãos para atuarem de forma conjunta na “Operação Enchente 2021”, anunciada pelo governador Wilson Lima nesta segunda-feira (08/03). Entre as ações propostas está a utilização da Unidade Básica Fluvial de Fiscalização (UBFF) do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem), levando serviços de saúde e cidadania às áreas mais atingidas.

A UBFF é referência no país por ser uma unidade equipada para realizar as atividades de fiscalização metrológica e da avaliação da conformidade por meio fluvial. Com quatro laboratórios, a ideia é utilizar a estrutura para integrar o plano emergencial com os serviços de outras secretarias, entre elas a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM).

De acordo com o diretor-presidente do Ipem, Márcio André Brito, os trabalhos devem iniciar a partir da próxima semana na calha do Juruá, considerada uma das mais críticas.

“Nós iremos além de prestar o nosso serviço de competência do órgão como assistência técnica ao comércio, serviço, monitoramento dos postos flutuantes, também iremos agregar de uma forma transversal outros órgãos para ocupar a unidade fluvial, como a Sejusc, na emissão de documentos, RG, e a SES, fazendo atendimentos no combate à Covid-19”, destacou o diretor do Ipem.

A secretária da Sejusc, Mirtes Salles, reforçou a importância da documentação para a população atingida nessas áreas alagadas. Os trabalhos de Cidadania receberão suporte de equipes atuantes nos serviços de Pronto Atendimento ao Cidadão (PACs) de Manacapuru, Itacoatiara, Parintins e Iranduba.

“Com a subida das águas as pessoas perdem os seus bens, eletrodomésticos, imóveis, mas elas perdem também os seus documentos. Então se faz necessária uma ação imediata da Sejusc no sentido de fazer a emissão de documentos nos municípios que estão sendo afetados pela enchente, porque essas pessoas precisam ter acesso aos benefícios da prefeitura, do Governo do Estado, do Governo Federal, e elas só podem ter acesso aos benefícios se elas tiverem documentadas”, afirmou.

As informações são da assessoria