Unimed Manaus adota projeto de autodescrição de imagens para cegos no Facebook

No Brasil, existem mais de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 585 mil totalmente cegas.

A Unimed Manaus passou a adotar a autodescrição das imagens postadas na página do Facebook da empresa. A ação faz do projeto #PraCegoVer, que consiste em descrever as imagens que são publicadas nas redes sociais para que os dispositivos de leitura de tela possam repassar o conteúdo ao deficiente visual. O projeto foi desenvolvido na Bahia, pela coordenadora de educação especial, Patrícia Silva de Jesus, e já conta com a adesão de instituições públicas e privadas de todo o país.

No Brasil, existem mais de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 585 mil totalmente cegas. O recurso da autodescrição vem sendo bastante utilizado na rede, onde, inclusive, há uma comunidade com quase oito mil curtidas –www.facebook.com/PraCegoVer. O objetivo é proporcionar acessibilidade às pessoas cegas e contribuir para que a rede social fique mais acolhedora para todos.

Os cegos conseguem utilizar computadores e acessar a internet por meio de dispositivos de leitura de tela. Essa ferramenta reconhece o conteúdo textual e o transforma em fala, por meio de vozes sintetizadas, como as utilizadas pelo Google Tradutor. No entanto, quando o leitor de tela se depara com uma imagem ou GIF, ele apenas diz que há a presença desse elemento, não informando ao cego o que tem na figura. Com o projeto #PraCegoVer, os administradores das páginas das redes sociais detalham os elementos da imagem, para que o dispositivo de leitura possa descrevê-los ao deficiente visual.

Com informações da assessoria