Brasil

UOL será processado por matéria contra Luciano Hang baseada em relatório falso atribuído a ABIN

Foto: Divulgação

Após o portal UOL ter produzido uma matéria contra o empresário apoiador de Bolsonaro e dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, a Agência Brasileira de Inteligência negou ter produzido o relatório que embasa o texto. O órgão emitiu um comunicado na tarde desta terça-feira (22), reafirmando ainda que trabalha com documentos sigilosos, sendo assim impossível o acesso ao documento, por parte do veículo de comunicação. O empresário disse que vai processar o veículo e o autor.

A matéria em questão, assinada pelo jornalista Lucas Valença, afirma que o referido relatório contesta a lisura da fortuna de Luciano Hang, e faz alerta ao Palácio do Planalto, do risco de Jair Bolsonaro ter proximidade com o empresário. A reportagem sustenta que no relatório são apontados problemas e inconsistências na fortuna do empresário. Ainda segundo a reportagem, o relatório foi enviado para Casa Civil, Exército, Polícia Federal e chegou até membros da CPI da Covid-19, no Senado.

“A Agência Brasileira de Inteligência informa não ter produzido, recebido ou difundido relatório ou qualquer outro documento como mencionado pelo portal UOL em reportagem desta terça-feira, 22 de junho. A Agência esclarece ainda que compete à ABIN executar a Política Nacional de Inteligência (Decreto n⁰ 8.793, de 29 de junho de 2016) com estrita observância dos direitos e garantias individuais, da fidelidade às instituições, dos princípios éticos e da segurança do Estado”, disse a Abin, em nota.

Processo

Por outro lado, o empresário Luciano Hang afirmou que o relatório se trata de uma fake news e usando do próprio comunicado da Abin confirmando que não produziu tal documento, anunciou, por meio de nota, que irá processar o UOL e o jornalista Lucas Valença.

“O empresário, Luciano Hang, irá representar judicialmente o portal de notícias UOL e o jornalista, Lucas Valença, por publicação de reportagem mentirosa nesta terça-feira, 22 de junho, no referido portal de notícias.  A publicação foi embasada em um suposto relatório produzido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), cujo o UOL afirmou que teria tido acesso. Entretanto, o documento não existe, caracterizando assim a produção de fake news, cujo único objetivo é prejudicar a imagem do empresário e, principalmente, do presidente Jair Messias Bolsonaro”, completa a nota.

Portal Manaus Alerta