Política

‘Vão casssar quem? A preta’, diz conselheira tutelar após ser exonerada por defender Lula

Foto: Reprodução

Mulher negra, “sem papas na língua”, como ela mesma diz, Aline Castro foi exonerada, na última sexta-feira (21), do cargo de conselheira tutelar em Curitiba (PR), após ter um vídeo antigo vazado, no qual defendia a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A justificativa é de que a gravação revela “idoneidade moral”, mas um detalhe – importante – intriga: a colega de trabalho, que também festejou a liberdade do petista, continua no cargo.

“Estamos na República de Curitiba. Aqui, o Judiciário funciona diferente”, disse Aline, que foi eleita em 2019 para um dos conselhos tutelares da capital paranaense, com 339 votos, sendo a segunda mais votada no ano. Agora, está desempregada e tentando organizar os sentimentos em relação aos processos que ocasionaram a demissão do posto. “Nesses últimos dias, estou só chorando”, relata.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta.