Veja o que fazer em caso de atraso de faturas e encomendas com a greve dos Correios

Foto: Fernando Frazão

A greve dos Correios, deflagrada em 17 de agosto e sem prazo definido para acabar, tem gerado preocupação para pequenos e médios empresários no Brasil, além de transtornos para diversos consumidores, tendo em vista que os serviços da empresa têm sido amplamente utilizados durante a pandemia do coronavírus.

Levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) mostra que mais de 70% das lojas on-line de pequeno porte utilizam os Correios. E, segundo a plataforma de e-commerce Loja Integrada, 86% dos lojistas cadastrados dependem da estatal.

Entretanto, apesar da liminar deferida pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), que obriga os Correios a terem 70% dos funcionários na ativa durante o período de paralisação, o principal serviço de entregas tem atrasado ou prejudicado envios de encomendas e boletos durante a greve.

Os consumidores que não tiverem os serviços contratados prestados, no entanto, têm direito a ressarcimento ou abatimento do valor pago e, caso a não prestação do serviço resulte em danos morais ou materiais, é possível requerer indenização por via judicial.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta.