Política

Vereador Chico Preto discute em audiência pública situação de obras do Centro de Manaus

A moção seguiu para o Plenário Adriano Jorge da Câmara Municipal de Manaus (CMM) para a votação- foto: Divulgação/Assessoria
Redação
Postado por Redação

Desde o início do seu mandato o vereador Chico Preto (PMN) vem intensificando as fiscalizações por meio de propostas, emendas, projetos de lei e cobranças não apenas na tribuna, exemplo disso foi solicitado um requerimento do nº193/2017 para a realização de uma audiência pública que foi realizado no inicio desta semana, no auditório Zany Reis, sob a responsabilidade da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio, Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Comdetre), presidida pelo vereador Coronel Gilvandro Mota (PTC).

Na ocasião estiveram presentes secretários do PAC Cidades Históricas (PCH), Secretário Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Manauscult, Secretaria Municipal do Centro Histórico (SMCH), presidente da Associação Comércio do Amazonas (ACA), permissionistas e presidente do Sindicato dos Camelôs.

Cobranças

Durante a Audiência Pública foram feitas cobranças dos secretários da Prefeitura Municipal de Manaus (PMM) quanto a conclusão de obras como da Praça da Matriz, Praça Tenreiro Aranha, Galeria dos Remédios, Praça Adalberto Vale e outras que estão há mais de quatro anos inacabadas, causando transtorno e insegurança a comerciantes, no Centro de Manaus.

Segundo o autor do pedido da Audiência, a discussão é importante para prestar contas, especialmente, aos trabalhadores que foram retirados de seus postos e remanejados para outros lugares.

De acordo secretário do PAC Cidades Históricas, Rafael Assayag, a meta da entrega das praças do Centro tem a previsão de conclusão até o fim do ano. “O Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CMDU) aprovou a deliberação de verba para priorizar a conclusão das obras da 2º a 3º etapa. Aguardamos o posicionamento da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) para iniciar o trabalho. A previsão dessa resposta está para o fim de julho a agosto”, afirma Assayag.

Ainda ressaltou que não serão cobrados a taxa de condomínio do Shopping T4, Avenida Camapuã, Cidade Nova. Um dos prazos dados para entrega de praças que estão em atraso foi a da Matriz que, tem a previsão de entrega em outubro.

Para o presidente do sindicato dos camelôs, José Assis, a falta de agilidade da PMM com as obras vem atrapalhando na produção da categoria, além da fiscalização fraca que termina favorecendo ainda mais a presença de camelôs clandestinos nas ruas do Centro. “A Prefeitura de Manaus precisa fortalecer intensamente o cumprimento o orçamento. Há necessidade de uma fiscalização preventiva, pois muitos estão indo apenas para cumprir expediente”, disse José.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários


Deixe um comentário