Vereadores cobram maior fiscalização contra aglomerações em Manaus

Foto: João Floriano

Os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) utilizaram o pequeno expediente da sessão plenária remota desta segunda-feira (22), na casa legislativa, para cobrar maior fiscalização das autoridades de saúde e até da defesa do consumidor, contra a aglomeração de pessoas em locais da cidade, cujas atividades ainda estão suspensas, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

O alvo principal foi o balneário da Ponta Negra, na Zona Oeste, que ficou lotado no último fim de semana, mesmo sem estar liberado para a população.

Ao criticar a visível falta de cuidado das pessoas em relação ao problema, os parlamentares lembraram que a capital amazonense ainda não está livre da Covid-19, apesar do retorno de algumas atividades consideradas essenciais. A maioria evidenciou a importância do cumprimento das normas, principalmente no que se refere a distanciamento social, utilização de equipamentos de proteção e o uso do álcool em gel, entre outras medidas.

Locais como restaurantes, supermercados e postos de gasolina, que também estariam descumprindo o decreto governamental publicado no último dia 28 de maio, foram motivos de discussão e até de indignação, por parte de alguns parlamentares.

Precaução

Em abril e maio deste ano, como precaução, a Câmara de Manaus produziu mais de 70 Projetos de Lei, destinados a ajudar a cidade de Manaus, no enfrentamento da pandemia. Nesta segunda-feira, vereadores que tiveram projetos sancionados sobre o assunto, fizeram referência a tais leis, ao cobrar das autoridades, que estão na linha de frente do problema, maior intensidade na fiscalização, até mesmo para evitar que um novo ciclo da doença se propague na cidade.

Igrejas

Outro assunto abordado no pequeno expediente está relacionado ao funcionamento das igrejas e templos. De acordo com o decreto governamental, as atividades em tais locais devem abranger apenas 30% da capacidade total de fieis, o que não estaria sendo cumprido por algumas denominações, na avaliação dos vereadores que se pronunciaram sobre a questão.

No domingo (21), a Arquidiocese de Manaus anunciou que a reabertura na igreja Católica será de forma gradual, a partir da próxima quarta-feira (24), com o retorno das missas previsto para 4 de julho.

(*) Com informações da Dircom/CMM