CMM

William Alemão sugere novo concurso, renovação no quadro e mais policiamento nas ruas

Foto: Assessoria de Comunicação do vereador

Em tom de apelo, o vereador William Alemão (Cidadania) utilizou as redes sociais na manhã desta segunda-feira (7), para sugerir que o Governo do Amazonas aumente o efetivo da Polícia Militar e contenha a onda de violência em Manaus. O parlamentar ressaltou a necessidade de um novo concurso público, renovação do quadro efetivo e até realocação de policiais que trabalham dentro das instituições para as ruas da cidade.

Alemão também reforçou o pedido feito pelo governador do Amazonas, Wilson Lima, sobre a necessidade de vinda da Força Nacional para a capital amazonense, nesse momento de instabilidade na segurança pública. O recado foi dado diretamente à bancada federal do estado em Brasília, em referência aos episódios ocorridos no último fim de semana, quando Manaus viveu momentos de terror, por conta da onda de violência instalada por facção criminosa.

“Quero fazer um apelo aqui aos deputados federais e senadores, que esqueçam os lados políticos agora e apoiem o pedido do governador, para que as tropas federais estejam em Manaus e a ordem seja reposta. Que tenhamos o direito de ir e vir respeitado”, disse.

Wilson Lima solicitou ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, o envio de tropa da Força Nacional de Segurança para atuar em apoio às forças estaduais de segurança nas ações de combate ao crime organizado.

Segundo informações do próprio executivo estadual, as tratativas com o Governo Federal foram mantidas ao longo do dia e formalizadas à noite, com o objetivo de que a tropa reforce o trabalho que já é feito pelas forças de segurança estaduais, com o emprego de todo o efetivo das Polícias Militar (PMAM) e Civil (PC-AM).

Os incidentes começaram na madrugada e manhã de domingo (6) com a queima de sete ônibus do transporte coletivo de Manaus, conforme informações do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Manaus (Sinetram). O Corpo de Bombeiros registrou 17 ocorrências de incêndio de veículos na capital amazonense.

Os bandidos também atearam fogo em agências bancárias, delegacia de polícia e atacaram uma ambulância, além de fechar parte da avenida Brasil, na Compensa, zona Oeste, entre outros atos criminosos.

Apoio

Como vereador e membro da 22ª Comissão de Segurança Pública Municipal, da Câmara Municipal de Manaus (COMSEGPM/CMM), Alemão se mostrou apreensivo com o impasse e se colocou à disposição do poder público e da própria sociedade como um todo, para apoiar todas as ações que possam dissipar o problema, que tem gerado uma mistura de medo e revolta entre os manauaras.

O parlamentar destacou que o momento é de unir forças e requer medidas urgentes.

“Hoje, a violência tomou conta de Manaus. Não é hora de falar o quanto estamos alertando sobre essa bomba relógio, mas sim pedir apoio”, frisou.

No último dia 26 de maio, a CMM realizou uma sessão solene para homenagear os 184 anos da Polícia Militar, e Alemão esteve presente no evento (foto acima).

Números

Sobre a realização de um novo concurso, William Alemão foi enfático, principalmente em relação aos números.

“Há mais de doze anos, não temos essa renovação de pessoal, por meio de concurso público. São aproximadamente 12 mil homens para atender a todo o estado e, desse total, somente 8 mil é que podemos chamar de efetivos, que estão na ativa, a grosso modo. Só que muitos deles estão em locais como a Assembleia Legislativa fazendo guarda de gabinete ou do próprio prédio, quando poderiam estar nas ruas, na função de proteger o cidadão. Temos um desfalque grande no quadro”, observou o vereador.

De acordo com as contas de William Alemão, o número ideal de policiais militares seria de até 16 mil homens e mulheres, mas a realidade é bem diferente.

“Sobram menos de 4 mil PMs em Manaus. A maioria trabalha 12 horas e folga 36 horas, ou 24 horas e folga 72. Eu fiz essa conta com um amigo policial e dá em torno de 730 policiais trabalhando diariamente na cidade. Nossa polícia não tem equipamento para bater diretamente com o tráfico e, principalmente, não tem gente. Nós não montamos mil policiais por dia em Manaus. Para uma cidade de 2 milhões e 200 mil de habitantes, isso é muito pouco”, alertou.

As informações são da assessoria