Wilson Lima anuncia pagamento de R$ 3,2 milhões em subvenções para a juta e a malva

Foto: Diego Peres/Secom

O governador Wilson Lima confirmou, nesta sexta-feira (2), durante edição do “Dia no Campo” no município de Manacapuru, que o Governo do Estado pagará no mês de novembro R$ 3,2 milhões referentes à subvenção econômica da juta e da malva. O valor corresponde à safra remanescente de 2018/2019 e à de 2019/2020, totalizando mais de 6,8 mil toneladas de fibras. O incentivo vai beneficiar cerca de 750 produtores.

No evento, realizado na Comunidade São Sebastião (Ilha do Marrecão), também foi anunciado o novo valor da subvenção, alterado pelo Decreto nº 41.830/2020, que estabelece o pagamento de R$ 0,50 por quilo de fibra de juta e malva embonecada. O valor é 25% superior ao preço praticado atualmente, que é de R$ 0,40.

“Aqui nós estamos anunciando a subvenção da juta e da malva, que vai ser paga agora no mês de novembro, e viemos fazer a entrega de algumas sementes. Nós temos uma parceria com a indústria e estamos entregando algo em torno de 20 toneladas de sementes. Isso vai ser importante para garantir uma boa safra para esses produtores de juta e malva e a gente tem o compromisso da indústria de o que for produzido aqui será comprado”, afirmou o governador.

Wilson Lima destacou que o pagamento das subvenções às fibras naturais foi retomado pela atual gestão. Somente em 2019, o Governo do Estado pagou mais de R$ 5,7 milhões em subvenções que estavam atrasadas há seis anos.

“Quando eu assumi, tive uma preocupação de pagar tudo o que o Estado estava devendo, aproximadamente seis anos que não havia o pagamento da subvenção da juta e da malva. No ano passado, nós quitamos isso e aumentamos a subvenção, que era de R$ 0,40 por quilo e passou para R$ 0,50. Inclusive, agora em novembro, eles já vão receber com esse aumento. Enquanto eu for governador, os juticultores terão garantida a subvenção da juta e da malva”, frisou.

Parceria e atualização – O “Dia no Campo” é um programa itinerante da Secretaria de Produção Rural (Sepror) para aproximar o produtor rural dos gestores do setor primário no Amazonas.

Na Comunidade São Sebastião, também foi anunciada a parceria entre Sepror, Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam) para a implantação de unidades de observação de plantio de malva em terra firme.

O objetivo da cooperação técnica é estabelecer a produção de sementes dessa cultura no estado. As unidades de observação serão implantadas ainda este ano nos municípios de Codajás e Manacapuru.

“Tendo o apoio do governo, tudo melhora para o produtor, porque as pessoas sabem que aqui é um polo grande da juta e malva, se não for um dos maiores polos. Então, a gente fica muito grato quando o governo abre as portas para ajudar o produtor rural”, reconheceu o presidente da Comunidade São Sebastião, Eronildo Amorim.

Ainda em Manacapuru, a Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) vai realizar o cadastro de aproximadamente 572 juticultores da região. Com a atualização do banco de dados da instituição, será possível o planejamento de novas ações que fortaleçam ainda mais a cadeia produtiva.

Para o secretário de Produção Rural, Petrucio Magalhães Júnior, a política de incentivo às fibras é importante para a economia da região de Manacapuru e municípios adjacentes.

“Não só Manacapuru, mas Manacapuru concentra o maior número de produtores que trabalham com as fibras. Temos Codajás, Beruri, esses municípios que produzem fibras e também vão ser beneficiados com essa política do governo de distribuir 20 toneladas de sementes e o pagamento da subvenção”, explicou o secretário.

Hospital

Na comunidade, Wilson Lima confirmou que o Governo do Estado lançará ainda neste mês de outubro o edital de licitação para a construção do Hospital Regional de Manacapuru.

“Essa é uma dívida que o poder público tem com o povo de Manacapuru. Esse vai ser um hospital referência para atender toda a região”, garantiu o governador.

As informações são da assessoria