Wilson Lima anuncia volta às aulas presenciais no interior do AM

Foto: Divulgação/ Secom

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou na tarde desta terça-feira (17) o retorno das aulas presenciais no interior do Amazonas de forma híbrida previsto para acontecer na próxima segunda-feira (23).

“São 12 municípios incluindo uma clientela de, aproximadamente, 50 mil alunos. Iremos fazer esse retorno de maneira híbrida, assim como está acontecendo aqui na capital”, disse.

Wilson também destacou a peculiaridade de alguns locais no que diz respeito à dificuldade no acesso ao material de estudo e pontuou que o retorno gradual será avaliado de acordo com o número de casos de Covi-19.

“Alguns municípios têm a dificuldade do acesso à internet, onde não há sinal de televisão, mas os professores encontraram um jeito para que o material chegasse até esses alunos e buscaram outras maneiras para fazer com que todos tivessem acesso às atividades. Então retornaremos de maneira híbrida e vamos avaliar a situação de cada calha de rio levando em consideração o número dos casos de Covid para que possamos, de fato, garantir esse retorno presencial”, concluiu.

Segurança – A Secretária Executiva Adjunta do Interior, Ana Maria Araújo, assegurou que todas as escolas estão com as estruturas adaptadas com os protocolos de prevenção, bem como os servidores preparados para receber os alunos e realizar a programação letiva. As aulas ocorrerão de maneira escalonada, a exemplo da capital.

“Os 12 municípios estão com os protocolos de saúde prontos e nós vamos ter duas turmas. Uma (turma) estuda na segunda-feira e na quarta-feira. Enquanto eles estão na segunda e na quarta estudando presencial, os outros alunos ficarão assistindo as aulas pelo programa ‘Aula em Casa’. E na quinta e na sexta vem a outra metade da turma, e os outros horários em que eles não estiverem na sala de aula, eles estarão estudando em casa com o programa”, explicou Ana Maria Araújo.

Calendário especial – A Secretária Executiva Adjunta do Interior acrescentou que as aulas por meio de mediação tecnológica e nas escolas indígenas terão um calendário especial para atualização dos conteúdos. “O MEC deu liberdade para que possamos fazer 2 anos em 1. Então, nos primeiros seis meses do ano de 2021,  faremos o ano letivo de 2020, e no segundo semestre, o ano letivo de 2021”, adiantou Ana Maria Araújo.

Portal Manaus Alerta